Cesar Greco/Divulgação
Cesar Greco/Divulgação

Marcelo Oliveira começa a sofrer pressão no Palmeiras

Atuações diante da Chapecoense e Ponte Preta irritaram a diretoria

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2015 | 07h00

A derrota para a Ponte Preta não deixou apenas os torcedores do Palmeiras irritados. A diretoria ficou incomodada com a postura da equipe e nos bastidores já começou a pressão em cima do trabalho do treinador.

Ainda não se fala de demissão de Marcelo Oliveira nos próximos dias, mas o Estado ouviu de algumas pessoas ligadas à diretoria que uma queda na Copa do Brasil diante do Fluminense pode fazer com que a pressão se torne insustentável.

Após o jogo com a Ponte, o diretor de futebol, Alexandre Mattos, cobrou publicamente uma melhora e mandou recado ao treinador, quando disse que as lesões não podem ser motivo para as más atuações.

Um divisor de águas para Marcelo Oliveira continuar no Palmeiras ano que vem é a classificação para a Libertadores. Ao ser questionado sobre o que pode acontecer caso a vaga não seja conquistada, Mattos avisou.

“Significa que temos de melhorar muito para o próximo ano. Trabalhamos com essa meta, de ainda tentar um título e, se não for possível, ainda pegar a Libertadores”, disse o dirigente palmeirense.


O que tem irritado a diretoria é a postura da equipe nos últimos jogos. Após a vexatória derrota por 5 a 1 para a Chapecoense, a expectativa era de que, após dez dias de intervalo entre um jogo e outro, o time tivesse uma postura diferente e conseguisse apresentar um bom futebol diante dos ponte-pretanos. Entretanto, mais uma vez a atuação foi decepcionante.

Nesta sexta-feira, o elenco treina pela manhã, sem a presença da imprensa. A expectativa é que a diretoria faça mais uma reunião com o elenco como já aconteceu ao longo do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.