Miguel Riopa/AFP
Miguel Riopa/AFP

Técnico do Porto confia em ida às semifinais: 'Motivação é uma virada histórica'

Equipe de Sergio Conceição terá de reverter placar de 2 a 0 do Liverpool em casa

Redação, Estadão Conteúdo

16 de abril de 2019 | 17h04

O técnico Sergio Conceição afirmou que o time do Porto está confiante na possibilidade de classificação para a semifinal da Liga dos Campeões, nesta quarta-feira, no estádio do Dragão, em Portugal, diante do Liverpool, apesar da derrota por 2 a 0 no confronto de ida das quartas de final, sofrida na semana passada, na Inglaterra.

"Não existe motivação maior do que obter uma virada histórica", disse o treinador da equipe portuguesa, nesta terça-feira, durante entrevista coletiva concedida no palco do confronto, na Cidade do Porto.

Sergio Conceição admite, porém, que a missão de sua equipe é muito difícil, tendo em vista o alto poderio ofensivo do Liverpool. E caso o time inglês marque um gol, obrigará o seu rival a fazer no mínimo quatro para seguir vivo na competição continental, tendo em vista o maior peso das bolas na rede fora de casa para efeito de desempate em caso de igualdade no saldo.

"Não só pela desvantagem que temos. Nosso adversário tem uma saída muito rápida para o ataque. Tem uma dinâmica coletiva muito interessante e individualmente tem jogadores muito fortes", afirmou o técnico, que revelou ter algumas dúvidas para escalar o Porto. "Só vou definir no vestiário."

Nos quatro jogos que disputou no estádio do Dragão, nesta Liga dos Campeões, a equipe portuguesa somou quatro vitórias. Bateu Galatasaray (1 a 0), Lokomotiv Moscou (4 a 1), Schalke 04 (3 a 1) e Roma (3 a 1). "Não há motivação maior do que estar a disputar as quartas de final da Liga dos Campeões. A competição por si só já dá motivação a este grupo de trabalho, que não precisa desta motivação porque a nossa motivação é o trabalho que fazemos diariamente", enfatizou Sergio Conceição.

O comandante também elogiou o rival inglês. "Eu acho que o Liverpool vai muito de encontro àquilo que eu penso que é o futebol. Gosto da dinâmica, do modelo de jogo, da forma como jogam e como estão com bola e sem bola. Na minha opinião, em muitos desses momentos, é talvez a melhor equipe do mundo, sem dúvida nenhuma."

Para enfrentar este adversário poderoso, o técnico espera que o Porto tenha uma postura dura. "Temos de ser uma equipe extremamente forte no plano defensivo e ofensivo, ser uma equipe equilibrada, focada, concentrada e fazer um jogo como já fizemos algumas vezes", projetou.

Sergio Conceição aproveitou para criticar a organização do Campeonato Português, que programou para sábado o jogo contra o Santa Clara, pela 30ª rodada da competição, na qual o Porto hoje divide a liderança com o Benfica, ambos com 72 pontos, a cinco jogos do final.

"Não havendo jogos no domingo, a Liga (Portuguesa), quase por birra, marcou o nosso jogo para sábado. Imaginemos que na quarta-feira acontece o que aconteceu com a Roma, irmos para a prorrogação e acabarmos o jogo perto de quinta-feira, e no sábado jogamos um jogo decisivo, porque todos os jogos do campeonato, como sabem, são decisivos. Aqui é um capricho da Liga, que foi para equilibrar em relação à outra equipe que joga", disse o treinador, referindo-se ao rival Benfica.

O Porto soma dois títulos da Liga dos Campeões. Foi campeão na edição 1986/1987 da competição, após derrotar o Bayern de Munique por 2 a 1 na final, e também ergueu a taça na temporada 2003/2004, ao superar o Monaco por 3 a 0 na decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.