Técnico do Porto diz que acusações de racismo são mal-entendido

As reclamações do Manchester City de que o atacante Mario Balotelli foi vítima de racismo durante uma partida da Liga Europa em Portugal na semana passada provavelmente foram produto de um mal-entendido, disse o técnico do Porto, Vitor Pereira.

REUTERS

22 de fevereiro de 2012 | 15h56

"Eu não percebi nada; provavelmente foi um mal-entendido que será esclarecido pelas autoridades devidas. Em geral, não temos problemas relacionados a racismo nos estádios portugueses", disse Pereira em uma entrevista coletiva em Manchester na terça-feira, antes da partida de volta.

O organismo que governa o futebol na Europa, a Uefa, anunciou uma audiência disciplinar na terça-feira para investigar a suposta "conduta imprópria" dos torcedores do Porto.

"Eu não ouvi nenhum comentário que forçaria o clube a pedir desculpas. O que eu escuto com frequência são os torcedores cantando pelo Hulk, o que ele próprio pode confirmar", acrescentou o técnico.

O atacante brasileiro Hulk, peça importante no recente sucesso do Porto, reforçou as declarações do técnico.

"Não escutei nada; quando você está em campo, está centrado apenas na partida. Em todas as partidas que jogamos em casa, escuto meu nome e isso causa certos mal-entendidos, mas os torcedores estão torcendo por mim", afirmou Hulk.

(Reportagem de Daniel Alvarenga)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTPORTOHULK*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.