Geoffroy van der Hasselt/AFP
Geoffroy van der Hasselt/AFP

Técnico do PSG nega divergência entre clube e seleção no caso Neymar

Unai Emery afirma que decisão sobre cirurgia foi tomada em conjunto

Estadão Conteúdo

02 Março 2018 | 17h18

O técnico do Paris Saint-Germain, Unai Emery, negou nesta sexta-feira que houve divergência entre o clube francês e a seleção brasileira sobre a cirurgia de Neymar. Durante entrevista coletiva, o treinador informou que a decisão foi tomada em conjunto.

+ Ex-presidente do Barcelona diz que ida de Neymar ao PSG é ponte para Real

"Internamente, falamos com muita clareza. Primeiro, escutamos o diagnóstico do nosso médico. Então, escutamos o do médico da seleção brasileira. Desde que aconteceu a lesão, temos buscado o melhor para o jogador e também para a equipe", disse.

A desavença teria acontecido porque, inicialmente, o PSG não havia diagnosticado fratura no pé direito de Neymar. O técnico francês ainda afirmou que não teria a necessidade de cirurgia e ainda tinha esperança de contar com o brasileiro para o jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, contra o Real Madrid, em Paris, na próxima terça-feira.

A situação mudou depois que o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, chegou a Paris, na terça-feira, dois dias após a lesão de Neymar em duelo contra o Olympique de Marselha pelo Campeonato Francês.

Lasmar confirmou a fratura no quinto metatarso do pé direito do craque brasileiro e, na quarta-feira, o Paris Saint-Germain publicou comunicado em seu site informando que seria necessário o procedimento cirúrgico.

Neymar passará por cirurgia neste sábado em Belo Horizonte e, de acordo com o médico brasileiro, deve ficar até três meses fora dos gramados. Com isso, a expectativa é que o atacante volte a campo a um mês da Copa do Mundo, já em amistosos preparatórios para o torneio - a estreia da seleção brasileira na Rússia será em 17 de junho, diante da Suíça.

DE OLHO NO REAL 

Emery divulgou nesta sexta-feira a lista de relacionados para o duelo contra o Troyes neste sábado, fora de casa, pela 28ª rodada do Campeonato Francês. Preocupado em reverter a vantagem de 3 a 1 do Real Madrid no jogo de ida, ele deixou de fora alguns de seus principais jogadores.

O centroavante Edinson Cavani, o atacante Kylian Mbappé e o meia Javier Pastore não estarão nem no banco de reservas por precaução. O zagueiro Marquinhos se recupera de lesão e ainda viva a expectativa de se recuperar para terça-feira.

A novidade na lista de relacionados para o duelo de sábado fica por conta da presença de Thimotée Weah, de 18 anos. Ele é filho de George Weah, que atuou pelo PSG no início da década de 90 e hoje é presidente da Libéria. O brasileiro Daniel Alves também está na lista, após ter ficado de fora do último jogo do Francês por suspensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.