Geoffroy van der Hasselt/AFP
Geoffroy van der Hasselt/AFP

Técnico do PSG nega divergência entre clube e seleção no caso Neymar

Unai Emery afirma que decisão sobre cirurgia foi tomada em conjunto

Estadão Conteúdo

02 de março de 2018 | 17h18

O técnico do Paris Saint-Germain, Unai Emery, negou nesta sexta-feira que houve divergência entre o clube francês e a seleção brasileira sobre a cirurgia de Neymar. Durante entrevista coletiva, o treinador informou que a decisão foi tomada em conjunto.

+ Ex-presidente do Barcelona diz que ida de Neymar ao PSG é ponte para Real

"Internamente, falamos com muita clareza. Primeiro, escutamos o diagnóstico do nosso médico. Então, escutamos o do médico da seleção brasileira. Desde que aconteceu a lesão, temos buscado o melhor para o jogador e também para a equipe", disse.

A desavença teria acontecido porque, inicialmente, o PSG não havia diagnosticado fratura no pé direito de Neymar. O técnico francês ainda afirmou que não teria a necessidade de cirurgia e ainda tinha esperança de contar com o brasileiro para o jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, contra o Real Madrid, em Paris, na próxima terça-feira.

A situação mudou depois que o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, chegou a Paris, na terça-feira, dois dias após a lesão de Neymar em duelo contra o Olympique de Marselha pelo Campeonato Francês.

Lasmar confirmou a fratura no quinto metatarso do pé direito do craque brasileiro e, na quarta-feira, o Paris Saint-Germain publicou comunicado em seu site informando que seria necessário o procedimento cirúrgico.

Neymar passará por cirurgia neste sábado em Belo Horizonte e, de acordo com o médico brasileiro, deve ficar até três meses fora dos gramados. Com isso, a expectativa é que o atacante volte a campo a um mês da Copa do Mundo, já em amistosos preparatórios para o torneio - a estreia da seleção brasileira na Rússia será em 17 de junho, diante da Suíça.

DE OLHO NO REAL 

Emery divulgou nesta sexta-feira a lista de relacionados para o duelo contra o Troyes neste sábado, fora de casa, pela 28ª rodada do Campeonato Francês. Preocupado em reverter a vantagem de 3 a 1 do Real Madrid no jogo de ida, ele deixou de fora alguns de seus principais jogadores.

O centroavante Edinson Cavani, o atacante Kylian Mbappé e o meia Javier Pastore não estarão nem no banco de reservas por precaução. O zagueiro Marquinhos se recupera de lesão e ainda viva a expectativa de se recuperar para terça-feira.

A novidade na lista de relacionados para o duelo de sábado fica por conta da presença de Thimotée Weah, de 18 anos. Ele é filho de George Weah, que atuou pelo PSG no início da década de 90 e hoje é presidente da Libéria. O brasileiro Daniel Alves também está na lista, após ter ficado de fora do último jogo do Francês por suspensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.