Técnico do Real está pessimista para clássico contra Barcelona

O técnico do Real Madrid, Bernd Schuster, já jogou a toalha antes do super clássico do futebol espanhol contra o Barcelona, no próximo fim de semana, em meio aos inúmeros jogadores lesionados e suspensos de sua equipe. Os atuais campeões espanhóis escorregaram para a quinta colocação após a derrota de 4 x 3 para o Sevilla, no domingo, em casa, além de terem perdido três das quatro últimas partidas no Campeonato Espanhol. O atacante holandês Arjen Robben está entre os desfalques do Real para o jogo de sábado, no Camp Nou, por conta do cartão vermelho que tomou contra o Sevilla. Jogadores importantes como o zagueiro Pepe, o meia Ruben de la Red e o atacante Ruud van Nistelrooy também não poderão jogar, por causa de contusões. "É impossível vencer no estádio do Barcelona", disse Schuster em entrevista coletiva. "Eles estão devastadores, acredito que esse é o ano deles", acrescentou. "Nós vamos tentar fazer uma boa apresentação. Não estaremos aptos para mais do que isso". Para piorar a situação de Schuster, o Real anunciou nesta segunda-feira que o volante Mahamadou Diarra ficará afastado dos gramados de seis a nove meses com uma lesão no joelho, enquanto o meia Royston Drenthe teve que abandonar o treinamento, também por um problema no joelho. A derrota, ou até mesmo um empate com o Barcelona, pode aumentar a pressão tanto sobre o técnico Schuster quanto em cima do presidente Ramón Calderón, que sofreu duras críticas em uma reunião de diretoria em Madri, no sábado. Membros do clube, bastante irritados, reiteraram as críticas a Calderón e ao diretor de esportes, Predrag Mijatovic, por não terem contratado jogadores de qualidade. Mijatovic classificou a derrota para o Sevilla como má sorte, e disse que o time mostrou no segundo tempo que tem vontade e habilidade para deixar para trás o recente desgaste. "Esse time é forte e pode se recuperar", disse ele na página de Internet no clube. "O campeonato é muito longo". Schuster disse que o Real estava prestes a vencer a partida contra o Sevilla, após se recuperar e igualar o placar em 3 x 3 , mas a expulsão de Robben acabou com as chances do time. "Nós mostramos personalidade, mas não era para ser", disse ele. "Fizemos algumas coisas ruins durante o jogo, mas eu também vi coisas muito boas, especialmente no segundo tempo". (Reportagem de Iain Rogers)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.