Técnico do Togo pode permanecer após a Copa do Mundo

O alemão Otto Pfister, de 68 anos, revelou neste sábado que pode continuar no comando da seleção do Togo após a Copa do Mundo. Para isso, o treinador espera "algumas mudanças no relacionamento com os dirigentes da Federação Togolesa"."Não descarto continuar. É só garantir que na federação haverá pessoas que trabalhem para o bem da equipe", explicou Pfister, que durante o Mundial chegou a abandonar a equipe por causa do desentendimento entre jogadores e dirigentes para acertar o valor da premiação.Desde que chegou ao comando do Togo, em fevereiro, o alemão vem encontrando problemas de relacionamento com a federação - inclusive, o secretário geral do Togo, Assogbavi Komlan, chegou a chamar Pfister de alcoólatra, o que deixou o técnico revoltado.Togo perdeu na estréia do Mundial para a seleção da Coréia do Sul por 2 a 1. O próximo jogo será disputado nesta segunda-feira, contra a Suíça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.