Técnico do United pede linha-dura no futebol contra o racismo

O técnico do Manchester United, Alex Ferguson, lamentou em entrevista exibida nesta quarta-feira o recrudescimento do racismo no futebol e disse que é hora de adotar uma posição rigorosa contra isso.

REUTERS

08 de fevereiro de 2012 | 10h32

Manchester United e Liverpool se enfrentam no sábado em Old Trafford, no primeiro confronto de ambos pelo campeonato inglês desde que o atacante uruguaio Luis Suárez, do Liverpool, foi suspenso durante oito jogos por insultos racistas dirigidos ao zagueiro Patrice Evra, do United, em outubro.

"Não entendo de onde isso está vindo", disse Ferguson à CNN. "Este é um momento em que todos temos de prestar atenção, e deveríamos fazer algo a respeito se estiver vindo à tona outra vez, e sermos realmente duros e firmes com qualquer forma de racismo. Já houve recentemente um par de exemplos, o que não é bom. Em 2012, não dá para acreditar nisso. Era óbvio talvez há 20 anos, e as melhorias estão aí para todo mundo ver."

Suárez terminou de cumprir a suspensão e ficou no banco no jogo Liverpool x Tottenham Hotspur, na segunda-feira. É provável que ele seja escalado contra o United.

Num outro caso polêmico, John Terry, do Chelsea, perdeu o posto de capitão da seleção inglesa e será julgado em julho por supostas ofensas racistas contra o zagueiro Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers. Terry nega a acusação.

(Reportagem de Mike Collett)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTINGLESFERGUSONRACISMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.