Raphael Alves/AP
Raphael Alves/AP

Técnico dos EUA faz visita rápida na Arena Amazônia

Klinsmann não quis se comprometer em dizer qual é o melhor estádio entre os que já conheceu

Renata Magnenti, Agência Estado

24 de janeiro de 2014 | 17h17

MANAUS - A visita do técnico da seleção norte-americana, Jurgen Klinsmann, na Arena Amazônia, nesta sexta-feira, foi morna. Ele não quis se comprometer em dizer qual é o melhor estádio entre os que já conheceu para a Copa no Brasil, se recusou a dar um "toquinho" na bola oficial da competição, a Brazuca, e ficou apenas cinco minutos no campo. No Mundial, os Estados Unidos vão jogar em Manaus no dia 22 de junho, contra Portugal.

Klinsmann, ao contrário das reclamações que já fez ao clima de Manaus, disse que os jogadores estão acostumados com desafios. "O Brasil é tão grande quanto os Estados Unidos e, logo, temos diversos climas em um mesmo país. Mas vamos jogar em qualquer tipo de clima, sol, chuva ou úmido. Mal podemos esperar para jogar aqui", desse o técnico alemão.

Durante a semana, o técnico e ex-jogador Klinsmann esteve também nas sedes de Natal e Recife, onde os Estados Unidos irão jogar na Copa. Além disso, uma equipe técnica da seleção norte-americana está averiguando toda infraestrutura que será dispensada ao grupo nas cidades.

Após dar entrevista em Manaus, Klinsmann deu uma camisa oficial da seleção dos Estados Unidos para o coordenador da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP-Copa), Miguel Capobiango, e outra para o coordenador municipal da UGP-Copa, Bernardo Monteiro de Paula.

ESTÁDIO

A Arena Amazônia está com mais de 94% das obras concluídas e deve ser inaugurada em fevereiro. Além de Estados Unidos x Portugal, o local receberá mais três jogos na Copa: Inglaterra x Itália, Camarões x Croácia e Honduras x Suíça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.