Técnico espanhol continua na seleção masculina de handebol

Jordi Ribera permanece no comando para manter projeto olímpico para os Jogos de Pequim

07 de janeiro de 2008 | 16h10

O presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Luiz Oliveira, acertou a permanência do técnico espanhol Jordi Ribera à frente do comando técnico da seleção brasileira de handebol masculino até os Jogos Olímpicos de Pequim, que começam no dia 8 de agosto deste ano. "Acertamos com o Jordi até as Olimpíadas e nos reunimos para finalizar todo o planejamento preparatório para Pequim, os amistosos internacionais, as etapas de treinamentos e a aclimatação" - disse Manoel Luiz, que já está trabalhando para a permanência do técnico Jordi também após a competição. "Depois de Pequim, a continuidade de Jordi à frente da Seleção Brasileira ainda não está concretizada, mas vamos trabalhar para isso", disse o presidente, em comunicado divulgado à imprensa nesta segunda-feira.Para continuar com a seleção, Jordi abdicou-se do time que comandava, já que o intuito é conquistar uma boa posição nos Jogos Olímpicos. "Tinha muito interesse em continuar, tanto da minha parte quanto da CBHb. Mas tenho um contrato de dois anos com o time espanhol Adhemar de Leon, e devo cumpri-lo. Porém, consegui uma permissão para comandar a Seleção até as Olimpíadas e vamos dar seqüência ao trabalho. Estou feliz pois também gostaria muito de ficar", disse o treinador, que comentou sobre como será a preparação da equipe para Pequim. "No início não estarei no Brasil e vamos trabalhar em conjunto com toda a comissão técnica, o Washington e o Marcos estarão acompanhando bem de perto os jogadores e a partir de maio me integro totalmente à Seleção Brasileira. O planejamento para as Olimpíadas será bem parecido com o dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. Vamos trabalhar com aproximadamente 22 jogadores para então definir o grupo que irá a Pequim. Nosso primeiro compromisso será em fevereiro quando sairá a convocação, iremos realizar treinamentos e amistosos. Em maio, vamos fazer um intercâmbio internacional na Europa, no mês de junho, disputaremos o Pan-Americano de Seleções, nos EUA, em julho devemos participar de amistosos com equipes européias, que provavelmente também estarão em Pequim, e para finalizar, vamos fazer a aclimatação no Japão", contou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.