Divulgação
Divulgação

Técnico Felipão acerta patrocínio para ser garoto-propaganda

Treinador também já concretizou outras duas negociações com empresas, que serão anunciadas em breve

O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2013 | 19h33

SÃO PAULO - O técnico Luiz Felipe Scolari aceitou vincular sua imagem à empresa Ambev através de um contrato de patrocínio que vai até janeiro de 2015. Ele será garoto-propaganda de Guaraná Antarctiva, Brahma e Gatorade e se juntará a outras estrelas que também têm contrato com a Ambev: Neymar, Lucas, Leandro Damião, Paulo Henrique Ganso, Ronaldo e Cafu. Vale ressaltar que o antigo comandante do Brasil, o técnico Mano Menezes, tinha contrato com a Kaiser, marca concorrente.

O acordo entre Ambev e Felipão foi intermediado pela Dodici Sports, responsável exclusiva pela gestão dos contratos publicitários do treinador. "Essa associação é muito positiva, principalmente pelos esforços que a empresa tem feito no meio esportivo e a sua forma de interagir com os torcedores. Agora novamente vamos reeditar essa parceria vencedora. Além da Ambev, já concretizamos outras duas negociações que devem ser anunciadas em breve, ressalto que no primeiro momento (dezembro e janeiro) conversamos prioritariamente com os atuais patrocinadores da CBF e agora estamos discutindo as demais oportunidades”, destaca Juan Brito, Diretor da Dodici Sports.

Felipão está em Portugal, onde participou do Fórum de Treinadores na cidade de Guimarães. Esteve ao lado do comandante da seleção portuguesa, Paulo Bento, e disse que pretende fazer algumas mudanças na seleção brasileira, que tem cinco amistosos marcados antes do início da Copa das Confederações: Itália (21 de março, em Genebra), Rússia (25 de março, em Londres), Chile (24 de abril, em Belo Horizonte), Inglaterra (2 de junho, no Rio) e França (9 de junho, em Porto Alegre). No dia 15 de junho, os comandados de Felipão estreiam na competição contra o Japão, em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.