Técnico Giba renova com a Portuguesa

O técnico Giba e a atual diretoria da Portuguesa viveram bons momentos na temporada que está acabando. Juntos livraram o time do rebaixamento no Campeonato Paulista e chegaram ao quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série B. Por causa deste desempenho, as partes não tiveram dificuldades para definir um novo contrato para 2006, numa reunião de quase duas horas, realizada no final da tarde desta segunda-feira, no Estádio do Canindé.Os valores estão mantidos a sete chaves. A maior dificuldade mesmo era uma eventual proposta do futebol do exterior para Giba, que não foi efetivada até o momento. "Nunca escondi que tenho bom relacionamento com o pessoal aqui da Portuguesa, tanto com o presidente (Manuel da Lupa) como com o diretor de futebol (Fernando Gomes). Espero que o próximo ano seja de muito sucesso para o clube".Fernando Gomes também deixou a reunião satisfeito com o acordo. "O Giba é excelente profissional e realizou grande trabalho. Então optamos pela manutenção dele com o objetivo de melhorar no próximo ano", comentou. Os planos, segundo ele, são realizar uma boa campanha no Paulistão 2006 e depois buscar o acesso na Série B. "Mostramos que temos condições de voltar à elite do futebol nacional, desde que estejamos unidos e trabalhemos bastante", disse Manuel da Lupa.O passo seguinte é definir o elenco. A idéia é manter a base, com a vinda de pelo menos mais quatro jogadores em condições de ser titulares. A receita para investir, basicamente, virá das negociações com jogadores. Dos US$ 7 milhões da venda de Celsinho para o Lokomotiv Moscou, da Rússia, o clube deve ficar com menos de 50%, uma vez que o jogador e seus procuradores teriam direito a 40% e uma outra parte é referente a comissões.Em princípio, a diretoria descarta a saída do lateral-esquerdo Leonardo, que teria inclusive proposta do Santos. O jogador tem contrato até 2008 e a multa contratual é de R$ 10 milhões.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2005 | 19h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.