JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Técnico interino, Milton Cruz descarta efetivação no São Paulo

Tricolor está classificado para semifinal do Paulistão

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

12 de abril de 2015 | 10h33

O técnico interino do São Paulo, Milton Cruz, descartou que tenha o objetivo de ser efetivado no comando da equipe. Um dia depois dessa possibilidade ser levantada pelo presidente Carlos Miguel Aidar, o comandante provisório do time disse não ter a ambição de ganhar outra função na equipe além da que já ocupa há 21 anos como coordenador técnico.

"Não é o que eu quero (ser técnico). O que eu quero é o que faço: trazer jogadores, promover atletas e dar retorno como funcionário do clube. Tenho experiência para ser treinador, mas nunca quis. Hoje eu estou como treinador, mas não sou técnico. Cabe à diretoria decidir", explicou o interino, após a vitória por 3 a 0 sobre o Red Bull Brasil, no Morumbi, pelas quartas de final do Paulistão.

Milton Cruz comandou o time nos dois últimos jogos e em ambos conquistou vitórias por 3 a 0 no Morumbi. Depois de bater a Portuguesa na última quarta-feira, garantiu novo resultado positivo na noite de sábado e a classificação para a semifinal da competição.

Ao todo ele tem diversas passagens como interino no clube. A primeira delas foi em 1999, quando substituiu Paulo César Carpegiani na disputa da seletiva para a Copa Libertadores. Enquanto a diretoria procura um nome para a vaga de Muricy Ramalho, que deixou o cargo na última semana, Milton está mantido e inclusive vai comandar a equipe pela Libertadores. O São Paulo joga na quarta-feira, contra o Danubio, no Uruguai.

A intenção do presidente do clube é trazer o técnico argentino Alejandro Sabella, que aguarda o desfecho de uma negociação com o futebol inglês para avaliar se poderia assumir o São Paulo. A resposta deve vir nesta semana e o interino destacou a possibilidade de trabalhar com um treinador que foi finalista de Copa do Mundo.

"Se for mesmo o Sabella, ele conhece o futebol brasileiro, então tem chance de dar certo. O duro é quando vem e não conhece, mas ele sabe como é. Falei com algumas pessoas que disseram que ele estuda muito, então tem tudo para dar certo", afirmou Milton Cruz.

Sabella jogou como meia no Grêmio na década de 1980. Em 2005, trabalhou como auxiliar de Daniel Passarella no Corinthians. O argentino está sem emprego desde o fim da última Copa do Mundo e, caso feche com o São Paulo, Milton Cruz deverá ser mantido na comissão técnica no mesmo cargo que costuma ocupar. "Quando chegar o treinador, volto a fazer a função de que gosto e que dei retorno, ao trazer jogadores de graça e promover jogadores da base".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCMilton Cruz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.