Técnico lamenta derrota, mas destaca postura do Fluminense

Em jogo polêmico, time perde e salva Figueirense da degola

Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2015 | 11h02

O técnico Eduardo Baptista fez questão de destacar a postura dos jogadores do Fluminense na decisiva partida contra o Figueirense, no domingo, na rodada final do Brasileirão. Para o treinador, o empenho dos seus jogadores em campo, em Florianópolis, acabam com qualquer polêmica a respeito do rebaixamento do Vasco.

A vitória do time da casa, por 1 a 0, causou a queda automática do time carioca à Série B do Campeonato Brasileiro. Por causa da importância do resultado, a partida foi cercada de expectativa por parte da torcida do Fluminense e do Vasco. Os tricolores chegaram a pedir aos jogadores do próprio time que perdessem para o Figueirense, com o objetivo de rebaixar o rival - durante o jogo, parte da torcida carioca presente no Estádio Orlando Scarpelli comemorou o gol do time catarinense.

Para aplacar a polêmica, a diretoria do Flu negou qualquer chance de "entregar" o jogo, prometeu empenho e até impediu entrevistas de jogadores nos dias que antecederam a partida. Ao fim do jogo, o treinador Eduardo Baptista exaltou o comprometimento dos seus jogadores, apesar da derrota.

"O Fluminense jogou para vencer. Teve boas chances no primeiro tempo, depois o jogo ficou mais equilibrado. O Figueirense fez o gol e depois se fechou. Alguns jogadores nossos estavam sem sequência e isso dificultou", ponderou o técnico. "A derrota foi muito ruim. Nós contávamos com a vitória. Todos lutaram até o último minuto. A equipe brigou, e eu não posso reclamar disso."

A derrota não prejudicou o Fluminense na definição final da tabela do Brasileirão. Com 47 pontos, a equipe carioca encerrou o campeonato na 13ª colocação, com boa folga sobre a zona de rebaixamento e, ao mesmo tempo, distante do G4.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseEduardo Baptista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.