Ivan Sekretarev/AP
Ivan Sekretarev/AP

Técnico lamenta derrota de Portugal: 'Foram heróis na Euro; hoje não conseguiram'

Fernando Santos vê seleção ser derrotada pelo Chile nos pênaltis, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação

Estadão Conteúdo

28 de junho de 2017 | 20h58

Atual campeã da Eurocopa, a seleção de Portugal não se deu bem em sua primeira competição oficial após o título conquistado no ano passado, na França. Nesta quarta-feira, o time que tem o astro Cristiano Ronaldo foi eliminado pelo Chile nas semifinais da Copa das Confederações, na Rússia, ao perder na disputa por pênaltis por 3 a 0, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação.

Após a partida realizada na cidade de Kazan, o técnico português Fernando Santos comentou a atuação de sua equipe e deu os méritos ao adversário sul-americano. "Entramos melhor nos primeiros 10, 15 minutos. Depois, foi o Chile que esteve melhor, equilibrou a partida. Houve chances para os dois lados, é assim em jogos entre grandes", afirmou.

Fernando Santos sabe que as críticas virão após a eliminação e pediu paciência. "Estes jogadores foram heróis na Euro, hoje (quarta-feira) não conseguiram. Temos que ter paciência", disse o treinador, que no domingo buscará o terceiro lugar da Copa das Confederações contra o perdedor da outra semifinal entre Alemanha e México, que será nesta quinta.

Em quatro partidas na Rússia, a equipe de Cristiano Ronaldo conquistou duas vitórias e dois empates. Agora o objetivo é estar de volta ao país daqui um ano para a disputa da Copa do Mundo. Portugal ainda não tem situação definida nas Eliminatórias Europeias. No Grupo B, os lusitanos têm 15 pontos, três atrás da líder Suíça, restando quatro rodadas. Apenas o primeiro da chave vai direto ao Mundial. Neste momento, precisaria da repescagem para decidir um lugar na Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.