Fabrício Cortinove/São Caetano
Fabrício Cortinove/São Caetano

Técnico Luis Carlos Martins deixa São Caetano após mais de 3 anos

Treinador foi demitido depois de quatro derrotas e apenas uma vitória no Campeonato Paulista

Estadão Conteúdo

05 de fevereiro de 2018 | 19h18

O São Caetano anunciou nesta segunda-feira a demissão do técnico Luis Carlos Martins. Depois de quatro derrotas e apenas uma vitória em cinco jogos no Paulistão, o clube fez um acordo para a saída do treinador. Ele estava no comando desde setembro de 2014.

+ Mirassol supera São Caetano e comemora a primeira vitória no Paulistão

Segundo Nairo Ferreira, presidente do time do ABC paulista, a decisão do desligamento partiu do próprio Martins. "Ele procurou a diretoria dizendo que existia um desgaste grande por estar há muito tempo no clube. Ele achou por bem fazer o acordo e se desligar", explicou o mandatário.

Martins é o treinador que mais vezes comandou o São Caetano. Teve uma primeira experiência em 1999 e depois retornou em 2014. Nas duas passagens, o total foi de 167 partidas, com 91 vitórias, 44 empates e 32 derrotas.

No ano passado, ele vivenciou sua principal conquista pelo clube, com o título do Campeonato Paulista da Série A2 e o acesso à elite. Para a atual temporada, a diretoria manteve a base do time campeão e confiou no treinador, mas a diferença no nível das divisões foi sentida e o medo do rebaixamento já bateu à porta.

O São Caetano é o quarto colocado do Grupo B do Paulistão, com três pontos, e possui a segunda pior campanha geral. No domingo perdeu em casa para o Mirassol, por 2 a 0. O seu próximo jogo será contra o Red Bull Brasil, no sábado, às 19 horas, pela sexta rodada.

Após o fim do ciclo de Martins, a diretoria ainda não definiu o seu substituto. Conforme informado pela assessoria de imprensa do clube, o anúncio do nome que será contratado como substituto deve ser feito até a próxima quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.