José Patrício/AE
José Patrício/AE

Técnico Muricy Ramalho quer levar o atacante Dagoberto para o Santos

Sondagem ocorreu na semana em que o jogador retomou as negociações para permanecer no São Paulo em 2012

Bruno Deiro, Marcius Azevedo e Paulo Galdieri, Jornal da Tarde

23 de agosto de 2011 | 06h10

SÃO PAULO - A dificuldade que o São Paulo está encontrando para renovar o contrato do atacante Dagoberto fez Muricy Ramalho pedir aos dirigentes do Santos, clube rival da Baixada, que procurassem o atleta para trazê-lo para a Vila. Ter Dagoberto e Borges, Neymar, Elano e Ganso faria do Santos uma equipe fortíssima. O vínculo de Dagoberto com o São Paulo acaba em abril do ano que vem, mas já em novembro ele poderá assinar um pré-acordo para se transferir para outro clube.

Autor de um golaço no clássico com o Palmeiras, o atacante retomou as negociações com a diretoria para continuar no Morumbi em 2012 e seu empresário se diz otimista em relação à permanência do jogador no São Paulo.

"A negociação está avançando e gostei bastante do que ouvi dos dirigentes do São Paulo. Mas ainda não há uma oferta concreta", disse Marcos Malaquias, após reunir-se com o diretor de futebol Adalberto Batista. Caso não haja acordo, Dagoberto poderá assinar pré-contrato com outro time a partir do fim de outubro, como manda a lei.

Artilheiro do São Paulo na temporada (18 gols) e jogador com maior número de assistências no elenco (14), Dagoberto não abre mão de oferta equivalente ao que ganharia se fosse atuar no futebol europeu. "Tem de ser uma valorização como sempre cobrei, mas as portas estão abertas. As negociações estavam estagnadas. Se tivesse aparecido uma boa proposta do clube antes, as coisas já poderiam estar resolvidas."

No início do ano, Dagoberto providenciou cidadania italiana e deu boa indicação de que não continuaria no Morumbi. Nesta segunda-feira, ele admitiu ter mudado de ideia, mas disse que não há nada garantido ainda. "Tenho contrato até o dia 19 de abril com o São Paulo. Fiz acordo de cinco anos e estou cumprindo."

VAGA NA SELEÇÃO

O bom momento do São Paulo já faz o atacante sonhar com voos mais altos: ele revelou que sonha com a possibilidade de ser chamado por Mano Menezes em futuras convocações da seleção brasileira. "Estou passando por um momento muito bom e penso em seleção. Mas, por enquanto, estou vivendo a minha realidade aqui no São Paulo."

A boa fase dá confiança ao atacante para falar o que pensa sobre a equipe. Após o clássico, Dagoberto comentou que faltou inteligência à defesa, que cometeu muitas faltas e facilitou as jogadas de bola parada palmeirense, com Marcos Assunção. Ele afirmou que a entrada de Fernandinho no ataque diminuiu seu isolamento na frente.

"O ataque estava sobrecarregado. Às vezes, eu estava sozinho e tinha três zagueiros ao redor", disse. "Quanto mais gente perto, mais facilita o nosso trabalho."

Os dois formavam a dupla titular nos tempos de Paulo César Carpegiani, mas, com Adílson Batista, Fernandinho perdeu a vaga. A reedição da dupla não deve durar: contra o Ceará, Lucas voltará a ser o companheiro de Dagoberto.

(Com informações da coluna 'Em Off', do Jornal da Tarde)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.