Alberto Lingria/Reuters
Alberto Lingria/Reuters

Técnico nega 'sorte' em virada contra o Barça e diz que Roma mira final

"Eu acho que os garotos estão certos de celebrar no vestiário, porque nós realmente acreditamos nisso"

Estadão Conteúdo

10 de abril de 2018 | 20h14

A heroica vitória da Roma sobre o Barcelona, que garantiu a equipe nas semifinais da Liga dos Campeões, não foi golpe de sorte. Quem afirmou foi o técnico Eusebio Di Francesco, que exaltou os méritos de seus comandados no triunfo por 3 a 0 sobre o time catalão, nesta terça-feira.

+ Roma faz 3 a 0 no Barcelona, busca virada improvável e vai às semifinais

"Isso não foi sorte. Isso foi o que aconteceu", declarou após a partida. "Eu acho que os garotos estão certos de celebrar no vestiário, porque nós realmente acreditamos nisso. A força deste grupo é sempre olhar para frente, e não para trás. Nós fizemos o que precisamos, nos divertimos, mas precisamos aspirar algo mais."

Quem entoou as palavras de Di Francesco foi o capitão De Rossi. Depois de marcar um gol contra na derrota da ida por 4 a 1, o volante deixou sua marca, de pênalti, nesta terça-feira, e fez questão de criticar o rótulo de "milagre" dado ao feito dos jogadores da Roma.

"É um verdadeiro triunfo, mesmo que ainda estivéssemos nas quartas de final. Para o tamanho da Roma, para a nossa história, é algo incrível. Mas, agora, nós não podemos pensar que fizemos um milagre. Precisamos continuar a jogar esta competição e tentar chegar até o fim", projetou.

Di Francesco também fez questão de pedir que seus comandados pensem nas semifinais e garantiu que a Roma tem condições de ir à decisão da Liga dos Campeões. "Ainda não foi o suficiente. Não podemos estar satisfeitos. Este elenco precisa mirar a final em Kiev. Por que não poderíamos pensar na decisão?", questionou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.