Técnico neozelandês se diz feliz mesmo com eliminação

O treinador neozelandês, Ricki Herbert, comemorou muito o empate por 0 a 0 frente ao time paraguaio, mesmo o país não tendo conseguido a classificação à próxima fase do Mundial da África do Sul. Isto porque os ''All Whites'', como são conhecidos, não perderam na competição. Terminaram em terceiro lugar no Grupo F, com três pontos em três partidas disputadas; com dois gols marcados e outros dois sofridos - saldo zero. Ainda assim o mais importante foi ter ficado à frente da seleção tetracampeã mundial, a Itália, na classificação final do Grupo F.

AE/AP, Agência Estado

24 de junho de 2010 | 16h17

"Não há nenhuma boa maneira de deixar a Copa do Mundo antes da Final. Mas, deixando o torneio juntamente com a Itália e a França não pode ser muito ruim", disse o técnico da Nova Zelândia, que conseguiu colocar o futebol em evidência no país, pois o rúgbi é o esporte preferido na nação oceânica.

O treinador, que está à frente da seleção nacional desde 2005, esteve presente na Copa do Mundo disputada na Espanha, a qual foi a primeira participação da Nova Zelândia em mundiais. "Foi a nossa segunda vez em Copas. Conseguimos inverter completamente o que fizemos antes. E isto é surpreendente. O futuro vai ser brilhante para nós", disse o ex-defensor que jogou contra a Escócia, ex-URSS e Brasil, em 1982.

"Criamos algo muito grande hoje [nesta quinta-feira]. Os jogadores estão absolutamente gratos pelo apoio dos que vieram aqui e dos que estão lá [na Nova Zelândia]. Terminamos entre os 24 do mundo!", disse o comandante do time da Oceania.

Pela conquista, Herbert, segundo a imprensa local, já recebeu ofertas para treinar alguns clubes. "Meu futuro? Cinco dias de férias em Hong Kong", despistou. Sobre aumento de salário, o neozelandês disse que ainda não sabe de nada. Cogita-se que membros da federação de futebol local já iniciaram diálogo para tentar segurar o técnico que, além de treinar a seleção, ainda ganha uma verba extra por acumular o cargo de treinador do Wellington Phoenix, que disputa o futebol australiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.