Alejandro Pagni/AFP
Alejandro Pagni/AFP

Técnico pede que Tevez adie ida à China após show no clássico contra o River

Argentino foi protagonista na vitória do Boca Juniors por 4 a 2 no Monumental de Nuñez

Estadão Conteúdo

12 de dezembro de 2016 | 11h16

Se Carlito Tevez já concentrava as atenções do futebol argentino nas últimas semanas, diante da possibilidade de ele deixar o Boca Juniors para atuar no futebol chinês, o astro agora ocupa todos os holofotes depois da grande atuação na vitória por 4 a 2 no clássico contra o River Plate, domingo, em pleno Monumental de Nuñez, casa do rival.

Até o técnico Guillermo Barros Schelotto fez um pedido expresso: "Que os chineses esperem por mais seis meses". "Carlitos sabe que o queremos e que precisamos dele. Tomara que ele continue no Boca, vou falar com ele", prometeu. Com a vitória, o Boca assumiu a liderança do Argentino, após 13 rodadas.

O clássico era tido na Argentina como o último das carreiras de Tevez e de D'Alessandro, craque do River. O ex-colorado, entretanto, esteve apagado, enquanto Tevez fez o segundo e o terceiro gols, virando o placar. O último deles foi muito bonito, um chute de lado do pé que ainda bateu na trave antes de entrar. Centurión, emprestado pelo São Paulo, fechou a conta.

Na comemoração dos gols, Tevez beijou o escudo do Boca. Depois da partida, não disse nem que sai nem que fica, ainda que tenha indicado que está na hora de dizer adeus novamente. "Amo o Boca, amo este clube e me esforço para estar 100% para ele. Desde o primeiro dia que cheguei disse que não estivesse bem ia dar um passo ao lado. Recusei propostas melhores, mas o Boca precisa do melhor Tevez. E se o melhor Tevez não está, darei um passo para o lado", disse.

Tevez afirmou ainda que vai se casar no próximo dia 22, no Uruguai, e depois sairá de férias com as filhas. "Aí vou decidir se saio ou não", garantiu. Antes, deve entrar em campo para mais uma rodada do Campeonato Argentino, contra o Colón, no sábado. A competição só acaba em maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.