Reuters
Reuters

Técnico prevê estreia de Borja no Palmeiras apenas em março

Fora do Campeonato Paulista, atacante deve fazer primeira partida pela Libertadores

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2017 | 12h58

A torcida do Palmeiras vai precisar esperar pelo menos um mês para ver a contratação mais cara da história do clube em campo. O técnico Eduardo Baptista avisou nesta sexta-feira que o colombiano Miguel Borja, trazido por R$ 33 milhões, só deve estrear em março, pela Copa Libertadores, pois as inscrições para a primeira fase do Campeonato Paulista já estão encerradas.

"O Borja vai demorar para jogar, não disputaria o Paulista e só vai jogar a Libertadores. Então, vai ter tempo para se adaptar ao elenco", disse o treinador. Como a segunda fase do Estadual é só em abril, o colombiano deve estrear pela equipe na fase de grupos da Copa Libertadores. A etapa será em março, com a estreia do Palmeiras no dia 8, fora de casa, contra o vencedor do confronto entre Atlético Tucumán, da Argentina, e Junior Barranquilla, da Colômbia.

Para a primeira fase do Paulista o Palmeiras teve de inscrever 28 jogadores. Uma troca que possibilitaria a estreia de Borja ainda em fevereiro apenas seria possível caso um dos atletas tivesse uma lesão grave, com a comprovação de que seria impossível retornar a jogar antes do fim da competição. Portanto, a comissão técnica deve aguardar a segunda fase do torneio, quando será possível efetuar quatro trocas na lista do elenco.

Baptista contou ter analisado minuciosamente informações sobre o reforço antes de a contratação ser fechada. O técnico citou que Borja não tem histórico de lesões, a cada cinco finalizações faz um gol e marcou 39 vezes em 55 jogos na última temporada. "Quando você faz uma contratação que é a maior da história, é preciso estar com tudo em mãos, saber o passado dele. Ele joga muitas partidas, se machuca pouco e tem um relação custo-benefício alto", afirmou.

O reforço do Palmeiras desembarca na capital paulista às 6h30 da manhã deste sábado, com a promessa de festa de recepção pela torcida no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. "Temos que encaixar o Borja dentro das características da nossa equipe. Vamos trabalhar com ele. Sabemos que fez pré-temporada, está em boas condições e vamos aguardar que ele se adapte o mais rápido possível", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.