Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Técnico prevê jogo duro para o Fluminense; Berna faz desabafo

Enderson Moreira exige concentração contra o Libertad em Assunção; goleiro pede fim às críticas

AE, Agência Estado

29 de abril de 2011 | 09h27

Depois de ver o Fluminense vencer o Libertad por 3 a 1, em jogo encerrado no início da madrugada desta sexta-feira, no Engenhão, o técnico Enderson Moreira afirmou que o time carioca não pode se iludir com a conquista da vantagem obtida no duelo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América. O treinador enfatizou que a equipe precisa manter uma postura ofensiva fora de casa, no confronto de volta, na próxima quarta, em Assunção.

"A equipe do Libertad mostrou ser uma equipe madura e tranquila, isso torna o jogo da quarta-feira extremamente difícil, temos que estar concentrados, não podemos ir pra lá só pensando em se defender. Temos que ir pra lá pensando em atacar também", afirmou o comandante.

Enderson também criticou a situação do gramado do Engenhão, que na opinião dele prejudicou o desempenho da sua equipe diante do Libertad. "A gente teve momentos bons, mas o gramado está terrível pela sequência de jogos. A gente sabe que é um gramado que já está com muitos problemas pelas chuvas. Tecnicamente a gente não fez um grande jogo e a gente sabe disso, mas o mais importante eu acho que foi o momento de superação... Foi uma vitória em que, apesar de a gente não ter feito um grande jogo, o time lutou muito e foi recompensado", analisou.

O treinador ainda comentou a revolta do volante Fernando Bob, que se revoltou por ter sido sacado de campo para a entrada do atacante Araújo pouco tempo depois de ter substituído o lateral-esquerdo Júlio César, que se contundiu. Ao saber que deixaria o gramado, Bob tirou a camisa e deixou o gramado irritado.

"Neste momento nem é bom a gente falar muito, eu entendo as razões dele (Fernando Bob). No Brasil cria-se uma cultura de que o jogador que entra não pode sair, que não pode fazer substituição no primeiro tempo, mas é uma coisa que é normal. Às vezes o jogo não encaixa e não tem que esperar perder o jogo para fazer modificações. A gente teve que tomar uma decisão, que não é comum, não é rotineira", justificou Enderson, lembrando que Bob não conseguiu desempenhar com sucesso a função de lateral.

Berna se revolta. Outra polêmica que cercou o confronto no Engenhão, que começou com mais de uma hora de atraso por causa da falta de energia elétrica no estádio, envolveu o goleiro Ricardo Berna, muito criticado pelos torcedores do Fluminense por ter saído mal da sua meta no lance do gol de empate do Libertad, marcado por Gamarra, aos 15 minutos da etapa final. Ao comentar as críticas, o jogador fez um desabafo.

"Aqui no Fluminense parece que o goleiro não pode tomar gol, né? Quem não acredita que esse time não pode ser campeão, do jeito que está, contrata uma empreiteira para montar um muro ali na frente do gol. Tem que acabar com essa tendência de criticar goleiro aqui no clube", afirmou o jogador, irritado, para depois explicar o gesto que fez para os torcedores depois de praticar uma defesa durante a partida.

"Mostrei que aqui tem fibra, aqui tem raça, eu não caí aqui de para-quedas não. E não serão algumas pessoas que vão falar o meu valor, eu sei o meu valor", bradou.

Veja também:

link JOGO - Leia como foi Fluminense 3 x 1 Libertad

som ESTADÃO ESPN - GOLS - 1x0 | 1x1 | 2x1 | 3x1
som ESTADO ESPN - Flu bate o Libertad no 1º jogo das oitavas da Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.