Efrem Lukatsky/AP
Efrem Lukatsky/AP

Técnico promete mudar a estratégia da Dinamarca: 'Vocês vão ver um time diferente'

Age Hareide quer equipe mais ofensiva diante do rival; time está 18 partidas invicto

Estadão Conteúdo

30 Junho 2018 | 13h18

Conhecida por seu estilo de jogo pragmático, calculista e acostumada a fazer poucos gols - marcou apenas dois na Copa do Mundo da Rússia -, a seleção da Dinamarca terá outra postura nas oitavas de final, no duelo contra a Croácia. É o que garantiu o técnico Age Hareide, que prometeu que a sua equipe mudará a estratégia de jogo e será mais ofensiva no duelo marcado para este domingo, às 15 horas (de Brasília), em Nijni Novgorod.

+ Eriksen admite 'pequeno favoritismo' da Croácia, mas exalta chance da Dinamarca

+ Özil diz que precisará 'de um pouco de tempo' para se recuperar de fiasco alemão

+ Sem Loftus-Cheek e Delph, Inglaterra retoma treinos de olho na Colômbia

"Eu acho que vocês vão ver uma Dinamarca diferente de tudo que viram até agora. Precisamos jogar de maneira diferente para progredir. Precisamos defender, mas também precisamos atacar mais do que fizemos em partidas anteriores", disse o treinador, que está invicto há 18 jogos no comando da seleção nórdica.

Apesar da invencibilidade e da classificação ao mata-mata, os dinamarqueses passaram longe de encantar na primeira fase. Venceram o Peru em um jogo em que foram muito pressionados, e empataram com Austrália e França. Contra este último rival, travou um duelo que terminou sem gols e foi considerado um dos piores jogos da Copa até aqui.

"Mostramos que somos capazes de jogar de diferentes maneiras, como fizemos nas Eliminatórias. Nós fomos capazes de trabalhar com diferentes tipos de abordagens", garantiu Hareide.

 

O treinador considerou que a tensão que pode ter atrapalhado a equipe na fase inicial do torneio já não existe mais. Ele crê na classificação dos dinamarqueses às quartas de final, o que igualaria a melhor campanha da história da equipe, conquistada na Copa de 1998, na França. Na ocasião, foram eliminados pela seleção brasileira.

"Certamente, parte da tensão foi removida. Na primeira rodada você precisa obter os pontos para avançar, por isso é muito tenso", destacou. "Amanhã será diferente. Haverá energia positiva porque é incrível que tenhamos chegado tão longe. Nós precisamos aproveitar essa oportunidade", completou o técnico.

Líder de sua chave e uma das três seleções que venceram os três jogos da fase de grupos, a Croácia apresentou um futebol digno de elogios na Rússia e, por isso, é tida como favorita para o confronto eliminatório.

"A Croácia sempre foi muito boa em variar o seu jogo, pressionando alto, pressionando baixo. Eles são capazes de atacar e defender bem e são ótimos passadores. Será uma partida muito interessante. Uma partida entre dos times que irão testar uns aos outros", finalizou Hareide.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.