Hannah McKay/Reuters
Hannah McKay/Reuters

Técnico revela desfalque na Alemanha e promete reação no sábado

Atual campeã da competição, equipe europeia precisa vencer após perder o primeiro jogo para o México

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

22 Junho 2018 | 12h32

O técnico da Alemanha, Joachim Löw, afirmou nesta sexta-feira em Sochi que a equipe conseguiu encontrar forças para evoluir e vai mostrar um futebol melhor no jogo deste sábado, no estádio Fisht, contra a Suécia, pela Copa do Mundo. Os atuais campeões mundiais passaram dias de cobrança pela derrota por 1 a 0 diante do México, na estreia, e ainda tiveram um desfalque de última hora.

+ Coutinho exalta 'emoção muito grande' em gol e elogia atuação do Brasil

+ O que o Brasil precisa para se classificar às oitavas da Copa do Mundo?

+ Capitão sueco provoca: 'Quem diria que a Alemanha pode ser eliminada'

O zagueiro titular Mats Hummels sentiu uma lesão no pescoço e não vai entrar em campo, problema que não desanima o treinador. "Nesta semana foi claro para mim que os jogadores mostraram reação em termos de trabalho e de treino. Temos que mostrar a diferença no jogo. Tenho certeza que todos vão mostrar superação em campo contra a Suécia", afirmou o treinador.

A equipe foi surpreendida pela derrota na estreia e passou uma semana de pressão. A Alemanha trocou a concentração nos arredores de Moscou para passar mais dias em Sochi, onde encontrou calor, praia, tranquilidade e um ambiente melhor. Todos no elenco aprovaram o refúgio no Sul da Rússia e para o treinador, o período no litoral ajudou o elenco a recuperar autoconfiança.

"Sempre podemos ter críticas pela performance dos jogadores, mas eu confio profundamente neles. Todos têm jogador em alto nível nos últimos anos. É preciso alimentá-los com confiança, porque todos são vencedores e estão acostumados a títulos. Não pe possível que isso tenha mudado", disse Löw. Além da saída de Hummels, que deve dar lugar a Süle, a Alemanha possivelmente terá a entrada de Mario Gómez no time titular na vaga de Werner.

 

Para o treinador, um dos principais motivos para a derrota diante do México foi uma postura passiva em campo em Moscou. "O instrumento importante para nosso time são energia e linguagem corporal. Isso faltou contra o México. Não tivemos essa postura e confiança. Copa do Mundo é paixo e defender o que tem. Precisamos usar a força e a determinação", disse.

A Alemanha pode ser eliminada na Copa do Mundo neste sábado se perder para a Suécia e a Coreia do Sul não derrotar o México em Rostov, em partida realizada mais cedo. Em todas as participações alemãs no torneio, apenas em 1938 a equipe acabou fora da competição ainda na primeira fase.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.