Georgi Licovski / EFE
Georgi Licovski / EFE

Técnico russo minimiza volta de Salah ao time egípcio: 'Confio em meus jogadores'

Stanislav Cherchesov afirma que se preocupa com o time inteiro do Egito

Estadão Conteúdo

18 Junho 2018 | 10h13

O técnico Stanislav Cherchesov exaltou o grupo de jogadores que representa a Rússia na Copa do Mundo e minimizou o peso que terá a provável presença de Mohamed Salah como titular do Egito na partida válida pela segunda rodada do Grupo A. O jogo entre as seleções vai acontecer a partir das 15 horas (de Brasília) desta terça-feira, em São Petersburgo.

+ Dzagoev lamenta lesão, mas já projeta volta: 'Ainda tenho esperanças'

+ Após estreia da Rússia, Mário Fernandes relembra erros no Brasil: 'Bebia muito'

"Confio em meus jogadores e no que eles são capazes de fazer, jogue Salah ou não", afirmou o treinador em coletiva de imprensa em São Petersburgo. De acordo com Cherchesov, a Rússia deve se preocupar com o time inteiro do Egito, mas reconhece a qualidade do atacante adversário.

"Não vamos jogar contra um só jogador, mas sabemos como vamos pará-lo. É o melhor do Egito", afirmou o técnico russo. Cherchesov acredita que vai encontrar mais dificuldade nesta terça do que contra a Arábia Saudita, adversária que a Rússia venceu por 5 a 0 na abertura do Mundial, no estádio Luzhniki, em Moscou, na última quinta-feira.

"Não sei se há lições para serem tiradas da última partida. Nós não jogamos contra Brasil, França ou Argentina", afirmou o técnico da Rússia. Para ele, o importante é projetar apenas o próximo compromisso da seleção. "Nós pensamos no nosso próximo passo. Não prevemos nada à frente, poderíamos cair no próximo obstáculo se fizéssemos isso", receitou.

 
A Rússia lidera o Grupo A com três pontos, mesmo número do Uruguai, mas com quatro gols positivos de saldo a mais. Depois do duelo contra o Egito, a seleção russa vai terminar participação na primeira fase do Mundial contra os uruguaios, às 11 horas (de Brasília) da próxima segunda-feira, em Samara.
 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.