Técnico sinaliza entrada de Wellington Paulista na Ponte Preta contra o Palmeiras

Atacante vai entrar no lugar do suspenso Roger

Estadão Conteúdo

18 Agosto 2016 | 20h30

Embora não tenha confirmado a formação da Ponte Preta para enfrentar o Palmeiras, neste domingo, às 16 horas, em São Paulo, pela 21.ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico Eduardo Baptista já sinalizou que Wellington Paulista deve mesmo ser o substituto de Roger. O titular do ataque está suspenso com três cartões amarelos e o treinador acha que não precisa explicar nem mesmo para os jogadores quem entra ou sai.

"Quando eu coloco alguém no time eu não dou satisfação, como também não explico quando alguém sai. A minha postura no comando do grupo, com honestidade e de transparência, basta para que todos entendam minhas decisões. Todos sabem que quem estiver melhor vai jogar", afirmou Eduardo Baptista, que jamais teve as suas decisões contestadas por qualquer jogador.

Neste caso, chegou a vez de Wellington Paulista, que não atua há 45 dias - desde a vitória sobre o São Paulo por 1 a 0, pela 13.ª rodada. "Nunca diminui meu ritmo de treinamento, respeitando meus companheiros. Agora espero aproveitar bem esta chance", comentou.

Quem poderia retornar ao time era Rhayner, que chegou a ser titular por vários jogos e só deixou o time por uma contusão na perna direita. Embora esteja recuperado, ele ainda não está no mesmo ritmo de jogo que Wellington Paulista. Há um respeito entre os companheiros. "Mesmo estando fora do time no último jogo eu foquei na minha recuperação, vi o jogo (2 a 0 sobre o Figueirense) e me coloquei à disposição do nosso treinador", explicou.

Rhayner deve ser relacionado para o banco de reservas, mas se entrar no jogo ele o fará com uma máscara protetora no rosto por causa de uma pequena fissura no osso do nariz. O atacante, porém, não tem usado este expediente durante os treinamentos. "Ai a rapaziada pega devagar porque a turma sabe que estou com esta lesão", completou.

Há quatro rodadas em oitavo lugar, a Ponte Preta soma 30 pontos e mantém o seu primeiro objetivo de atingir 47 pontos para garantir a sua permanência na Série A em 2017. Depois vai tentar algo a mais na competição, talvez até buscar uma vaga entre os quatro primeiros colocados para jogar a Copa Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.