Técnico uruguaio quer evitar euforia na sua equipe

Apesar de estar nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, o treinador Oscar Tabárez quer impedir que seus jogadores sejam contaminados pela euforia que atinge Uruguai por causa da ótima campanha da equipe sul-americana.

AE-AP, Agência Estado

25 de junho de 2010 | 17h00

O Uruguai tem uma boa chance de alcançar as semifinais do campeonato. Se superar a Coreia do Sul neste sábado, enfrentará nas quartas de final do torneio o vencedor do confronto entre Estados Unidos e Gana. "Recebemos notícias de como o povo uruguaio está animado. Se há uma intensa relação entre a equipe e a população é porque ela se sente representada. Mas nós não podemos perder a cabeça", avaliou Oscar Tabárez.

Uma outra preocupação de Tabárez é evitar comparações com o time campeão de 1950, que surpreendeu ao derrotar o Brasil no Maracanã. "Seria uma irresponsabilidade compararmos com eles. Tem que deixar a história quieta", aconselhou o comandante uruguaio, que não escondeu a sua surpresa em relação aos resultados da primeira fase do Mundial.

Para ele, foi inesperada a eliminação da Itália e da França da competição. "Não há garantia de nada neste Mundial. Os títulos da Copa do Mundo ficam para trás quando o árbitro apita o início da partida", disse o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolUruguaiBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.