Christian Hartmann/Reuters
Christian Hartmann/Reuters

Técnico vê Croácia com o 'melhor meio de campo da Copa' para pegar Inglaterra

Modric e Rakitic são as principais armas croatas para enfrentar os ingleses

Glauco de Pierri e Gonçalo Junior, enviados especiais / Moscou, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2018 | 05h00

“Quando jogam por Real Madrid e Barcelona, são rivais; mas quando se juntam pela Croácia, são um corpo único e uma única alma.” A frase, emblemática, é do técnico da seleção croata Zlatko Dalic, que falava sobre os dois principais jogadores de sua equipe, os meias Modric e Rakitic. “Eles formam o melhor meio de campo do Mundial da Rússia.”

+ Ex-técnico da Croácia alerta Inglaterra para Modric: 'Melhor jogador da Copa'

+ Craque da Croácia, Modric vive sob desconfiança por caso mal explicado com cartola

E não é para menos. A Croácia é uma seleção mais linear, que marcou dez gols na competição com oito jogadores diferentes – Modric fez dois gols e deu uma assistência, enquanto Rakitic anotou um (Mandzukic, Vida, Rebic, Badelj, Perisic e Kramaric também fizeram um gol cada) e deu passe para outro – um gol da seleção foi contra, na partida contra a Nigéria, de Etebo.

O meia do Real Madrid correu nos cinco jogos 50,8 km, o que dá uma média de mais de 10 km por partida, além de ter completado 367 passes corretos em todas elas. Já o craque do Barcelona correu um pouco menos, 48,3 km (9,6 km por jogo em média), e completou 279 passes até a vitória em cima da Rússia, nas quartas de final.

 

Outro dado interessante que mostra a importância dos dois meias para a seleção croata é o tempo em que permaneceram em campo nos cinco primeiros jogos da Copa. Modric atuou em 485 minutos, sendo o líder no quesito na equipe, enquanto Rakitic é o terceiro, com 429 minutos – o segundo é o zagueiro titular Dejan Lovren, um dos destaques do Liverpool.

Na parte defensiva, a dupla também tem sido de grande importância. Modric recuperou a bola 27 vezes e Rakitic, 26 – ambos também estão entre os três primeiros neste índice, liderado por Lovren.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.