Técnicos adotam cautela em principais amistosos da semana

Poucos jogadores terão oportunidade de estrear ou voltar a jogar por suas seleções nos amistosos internacionais desta semana, uma vez que a maioria dos treinadores decidiu usar as partidas para consolidar seus times em vez de experimentar mudanças.

MARK MEADOWS, REUTERS

07 de fevereiro de 2011 | 19h02

Esse foi o motivo dado pelo técnico francês, Laurent Blanc, para não convocar o ex-capitão Patrice Evra para o jogo em Paris contra o Brasil, apesar do fim de uma suspensão de cinco jogos imposta ao jogador pela federação francesa por sua participação nos protestos de jogadores na Copa do Mundo da África do Sul.

Blanc garantiu que a decisão de omitir o jogador do Manchester United teve como base apenas "critérios esportivos", principalmente pelo bom nível de Eric Abidal nos últimos jogos da França.

"Não ajuda em nada pensar no passado. Vamos tentar virar a página", disse Blanc a jornalistas, confirmando que não deseja mudar a equipe antes da retomada das eliminatórias da Eurocopa de 2012, em março.

Sem grandes jogos entre seleções desde novembro, os treinadores querem que suas equipes já escolhidas retomem o ritmo sem qualquer distração. No Brasil, a única mudança deve ser a volta do goleiro Julio César, recuperado de lesão, para seu primeiro jogo desde o Mundial do ano passado.

O treinador da Alemanha, Joachim Loew, cuja equipe lidera seu grupo nas eliminatórias da Euro assim como a França, optou por não convocar o capitão Michael Ballack para o jogo contra a Itália, apesar de o meia de 34 anos estar totalmente em forma após uma contusão.

Muitos alemães acreditam que a entrada de Ballack, que não jogou a Copa da África do Sul devido a outra lesão, poderia prejudicar a boa fase do time, que terminou o Mundial em 3o.

A campeã mundial Espanha será mais um time sem surpresas no jogo contra a Colômbia em Madri, enquanto a renovada seleção portuguesa do técnico Paulo Bento também praticamente não terá mudanças para o amistoso contra a Argentina --a única exceção é a volta de Ricardo Quaresma.

"Estamos buscando uma estabilidade. Queremos dar uma identidade ao time, e isso vêm com uma estabilidade em nossas escalações", disse Bento a jornalistas.

O excesso de jogadores convocados pela primeira vez para jogar amistosos tem afetado principalmente a Inglaterra nos últimos anos, mas Fabio Capello foi mais moderado para a partida contra a Dinamarca. A única novidade ficou por conta da inesperada convocação de Kyle Walker.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTAMISTOSOSCAUTELA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.