Técnicos comentam eliminação da seleção brasileira

Os técnicos Rene Weber, Valdir Espinosa e Marcos Paquetá analisaram a derrota que eliminou o Brasil da Copa do Mundo. A seleção perdeu para a França, por 1 a 0, neste sábado, em Gelsenkirchen. Rene Weber "Estou muito triste com essa eliminação na Copa do Mundo. O Brasil não entrou em campo. A seleção brasileira jogou pior do que aquela que perdeu em 98 e foi superada pela qualidade da França." "O Brasil poderia ter vencido e permitiu que os franceses jogassem o que sabem. Isso vai servir de aprendizado. Não adianta reunir um grupo de astros se ninguém correr em campo. O Brasil não teve força e não pressionou o adversário, a não ser nos cinco minutos finais da partida. Infelizmente foi essa a realidade. Agora é fazer uma análise de tudo e começar a pensar no trabalho a seguir. Alguns jogadores encerraram o ciclo na seleção e é necessário que haja uma renovação nas laterais, por exemplo." Valdir Espinosa "Acabou. O Brasil não jogou e não se encontrou em campo. Temos que aceitar que a França foi superior na técnica, na tática e na individualidade. Quando uma equipe é superior a outra nesses quesitos, o resultado é previsível. Isso aconteceu e a seleção brasileira teve que pagar o preço da eliminação da Copa do Mundo. Agora é hora de fazer um balanço, ver as lições que podem ser tiradas e avaliar o que é preciso melhorar." Marcos Paquetá (Arábia Saudita) "Lamento a eliminação do Brasil da Copa do Mundo. O jogo foi entre duas equipes muito técnicas e acredito que a grande diferença foi que a França marcou mais do que a seleção brasileira. Os franceses souberam aproveitar um lance de bola parada e variaram mais as jogadas." "Faltou vibração ao Brasil e muitos jogadores não apresentaram o seu futebol. As substituições foram bem feitas pelo técnico Parreira, mas a participação do time, em geral, não foi boa."

Agencia Estado,

01 Julho 2006 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.