John Walton/Reuters
John Walton/Reuters

Técnicos de clubes ingleses ameaçam não liberar jogadores para jogos de seleção da data Fifa

Por causa da pandemia, equipes avaliam segurar atletas chamados para defender seus respectivos times nacionais nas Eliminatórias da Copa neste mês

Redação, Estadão Conteúdo

04 de março de 2021 | 12h01

As seleções nacionais poderão ter problemas para definir suas listas de convocados para a próxima data Fifa, prevista para o fim deste mês - mais precisamente entre os dias 22 e 31. Alguns técnicos de clubes da Inglaterra, como o alemão Jurgen Klopp, do Liverpool, e o norueguês Ole Gunnar Solskjaer, do Manchester United, já se manifestaram contrários a liberações de jogadores por causa do período de quarentena ao qual eles seriam submetidos obrigatoriamente na volta ao país devido à pandemia do novo coronavírus.

"Todo mundo está de acordo que não podemos deixar os jogadores irem com a seleção e na volta terem de cumprir uma quarentena de dez dias em um hotel. Isso não pode acontecer. A Fifa foi muito clara ao dizer que não temos de deixar os atletas irem deste vez e acredito que todos os clubes estão de acordo com esse problema", afirmou Klopp.

Só no Liverpool, por exemplo, o técnico Tite teria três desfalques para a seleção brasileira. São os casos do goleiro Alisson, do volante Fabinho e do atacante Roberto Firmino. De acordo com a CBF, o Brasil tem que entregar a sua lista de convocados para os próximos jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 até este domingo. A apresentação está prevista para o dia 22 e, a princípio, o time enfrenta a Colômbia, em Barranquilla, no dia 26, e a Argentina, no Recife, no dia 30.

"Entendo as necessidades das federações, mas temos que admitir que os clubes são os que pagam os jogadores e têm prioridade. É um momento em que não podemos atender a todo mundo", completou Klopp.

No caso de Solskjaer, a liberação não seria nem para países mais próximos da Inglaterra. O norueguês indicou que não vai liberar o meia Bruno Fernandes, principal destaque do Manchester United, para defender a seleção de Portugal nos primeiros compromissos pelas Eliminatórias Europeias para o Mundial do Catar.

"Não sentamos ainda e nem tomamos uma decisão, mas não faz sentido se você perder um jogador durante 10 dias de isolamento. Somos nós que pagamos os jogadores e, no meu entendimento, a Fifa deu regras que não precisam ser publicadas. Então acredito que será uma decisão difícil liberar os jogadores em países em situação difícil em relação à covid-19", declarou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.