Técnicos de Flu e Bahia se unem em ação contra o racismo antes de jogo

Técnicos de Flu e Bahia se unem em ação contra o racismo antes de jogo

Roger Machado e Marcão são os únicos técnicos negros dentre os 20 da série A do Brasileirão

Redação, Estadão Conteúdo

12 de outubro de 2019 | 19h58

O jogo entre Fluminense e Bahia, disputado neste sábado no Maracanã, traz uma marca: é o único confronto entre os dois técnicos negros da série A do Campeonato Brasileiro, Roger Machado do lado dos baianos e Marcão dos cariocas. E os clubes se uniram para ressaltar a situação e se opor ao racismo.

Roger e Marcão utilizaram camisas para divulgar a ONG Observatório do Discriminação Racial no Futebol, que denuncia o preconceito que ainda persiste no esporte e procura lutar contra ele através da conscientização dos torcedores e outros tipos de ações. Fluminense e Bahia combinaram a ação publicamente através do Twitter, durante a semana.

Não é a primeira vez que Roger divulga a ONG. Na partida contra o Grêmio, o técnico do tricolor baiano também vestiu a camisa, assim como o comandante adversário da ocasião, Renato Gaúcho.

No jogo, o Fluminense venceu por 2 a 0. Nenê abriu o placar aos 19 do primeiro tempo, convertendo pênalti, e Daniel, de cabeça, aumentou aos 44 minutos, ainda na primeira etapa.

Em 2019, o Bahia estruturou o departamento de marketing e realizou diversas ações em defesa de temas de direitos humanos. O clube já manifestou contra a LGBTfobia, contra a violência no futebol, em favor da demarcação de terras indígenas, tornou mais fácil para torcedoras denunciarem assédios nos estádios após saber de um caso através das redes sociais e abriu sua loja oficial para a realização de testes de DNA em uma campanha sobre abandono paterno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.