Técnicos mantêm dúvidas para dérbi

Como já era esperado, Guarani e Ponte Preta realizaram nesta tarde um coletivo, mas seus técnicos não definiram os times para o dérbi número 179, domingo, às 18 horas, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas (SP). Jair Picerni apenas somente confirmou o Guarani no esquema 4-4-2, enquanto Nenê Santana ainda não sabe se usa o mesmo esquema do rival ou opta pelo 3-5-2.No lado do Guarani, o coletivo teve duas partes. Na primeira, Jair Picerni escalou o time com três atacantes, com Evandro Roncatto entrando ao lado de Sandro Hiroshi e Viola. No meio campo, o volante Marcos Paulo e os meias Valdeir e Harison. A outra formação, dentro do esquema 4-4-2, usou Marcos Paulo ao lado de três meias: Harison, Valdeir e Simão, este ganhando a vaga de Aílton, muito irregular nos últimos jogos. "Não gostei do treino, mas espero que tudo dê certo no jogo. Só não decidi ainda quem vai jogar, porque preciso pensar um pouco", explicou Picerni.Já no Majestoso, distante apenas 800 metros do Brinco, o técnico Nenê Santana também usava várias fórmulas no coletivo, certamente para despistar a imprensa e curiosos. Certo mesmo são os vetos do lateral-esquerdo Bill e do zagueiro Alexandre, vetados pelo departamento médico. Na defesa, o técnico pode usar três zagueiros: Gustavo, Luís Carlos, que volta de suspensão, e Rafael Santos. Mas pode também colocar só dois zagueiros: Gustavo e Luís Carlos.Na lateral-esquerda há duas opções. Uma delas é improvisar o lateral direito Luciano Baiano, que já atuou pelo setor várias vezes.A outra é deslocar o meia Zé Maria, o que reforçaria o sistema de marcação. No meio campo, estão confirmados os volantes Ma rcus Vinícius e Romeu, além do meia Lindomar. No ataque, é quase certo que jogarão Júlio César e Alecsandro. O meias Danilo e Flávio ficam como opções no caso do time usar o esquema 4-4-2.Os dois elencos encerram suas preparações no sábado. O Guarani na rotineira manhã festiva, com um rápido recreativo. A Ponte trocou o treino da manhã por um recreativo à tarde com a presença de sua torcida, numa tentativa de aproximação com eles. Antes da 37ª rodada, o Guarani ocupa a última posição, com 34 pontos, e luta contra o rebaixamento. A Ponte, com 53 pontos, ocupa a nona posição e sonha garantir uma vaga na Copa Sul-Americana em 2005.Ingressos - Dos 21 mil ingressos colocados à venda, cerca de cinco mil foram vendidos antecipadamente até o início da noite, sendo três mil para a torcida bugrina. A expectativa é de um público em torno de 10 mil pessoas no clássico campineiro. Somente 4.700 bilhetes foram concedidos à torcida da Ponte que, na condição de visitante, ocupará apenas a cabeceira de fundo do estádio, com entrada privativa. Os bugrinos devem ser maioria, uma vez que estão comprando ingressos pela metade do preço: sete reais. A promoção exige que o torcedor vá ao estádio vestindo a camisa do clube.A Polícia Militar garantirá a segurança do dérbi com cerca de 400 policiais, incluindo homens de trânsito, tropa de choque, cavalaria e canil. A Emdec (empresa responsável pelo trânsito e transporte na cidade) vai armar esquema especial de trânsito, enquanto que a Samu (plano médico) vai ter cobertura para o atendimento emergencial médico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.