Técnicos são mantidos no Paulistão, mesmo com derrotas

Mesmo com as constantes derrotas no Campeonato Paulista neste início de temporada, os treinadores dos últimos colocados seguem prestigiados pelos dirigentes. Até agora, em três jogos, nenhum técnico perdeu o emprego, embora alguns já colecionem uma seqüência de maus resultados.Nas primeiras rodadas do ano passado, dois técnicos já tinham perdido o emprego: Nicanor de Carvalho, do Bragantino, substituído por Marcelo Veiga, e Roberto Fonseca, do São Bento, de Sorocaba, que se livrou da queda com Abelha. Os dois times acabaram escapando do rebaixamento, principal objetivo dos dois times que tinham voltado à elite em 2005.O lanterna Rio Branco segue firme com Zé Teodoro. O treinador, aliás, mostrou confiança ao afirmar que o time não cai em suas mãos. Mas já perdeu para o Juventus, por 3 a 0, Palmeiras, por 2 a 1, e Ituano, 1 a 0.O Grêmio Barueri, em 18.º lugar, chegou à primeira divisão do Estadual depois de seis acessos em cinco anos. Mas até agora não conquistou nem um ponto. Mesmo assim, Marcelo Villar segue no comando do time e colocou a culpa na ansiedade. O time perdeu na estréia para o Santos, por 2 a 1, caiu diante do Paulista, por 1 a 0, e contra o Guaratinguetá, por 2 a 0. ?Nós confiamos na reação em cima da nossa estrutura?, garante o presidente Walter Sanches.O presidente do América, Alcides Zanirato, exaltou-se e chegou a ser duro ao confirmar a permanência do treinador Márcio Bittencourt. Ele acha muito cedo para demitir o treinador. ?São apenas três rodadas e quem gosta de falar prestigiado é a imprensa. Acho esta palavra bem pejorativa?, afirmou.O time de São José do Rio Preto somou seu primeiro ponto ao empatar por 1 a 1 com o São Bento, do ex-volante Freddy Rincón. O presidente João Câncio Pereira tentou ganhar o duelo no grito na base do ?eu ou ele?, mas, isolado por seus pares, renunciou à presidência na segunda-feira. Dois dias depois, reassumiu o cargo, minimizando as desavenças com Rincón, que mesmo assim segue ameaçado.No Campeonato Paulista da Série A-2, a ?dança de técnicos? segue a rotina. Na primeira rodada, caiu José Galli Neto, do Taquaritinga, que contratou João Martins. Na segunda rodada foi demitido Agnaldo Liz, do Comercial, substituído por Paulo Egídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.