Tecnologia ainda é preocupação para plano de segurança da Copa 2014

No ano passado, não foi feita nenhuma contratação necessária para a área

Almir Leite, O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2013 | 22h11

SÃO PAULO - Para o bom funcionamento do plano de segurança, é fundamental o suporte da Tecnologia da Informação. E há duvidas nessa área. De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU) existem atrasos que podem comprometer o sistema de segurança na Copa das Confederações, o evento-teste para a Copa do Mundo, a ser realizada de 15 a 30 de junho deste ano.

Em dezembro passado, o órgão divulgou relatório dando conta que em 2012 não foi feita nenhuma contratação necessária para a área. O TCU teve como base 42 projetos - 28 de atribuição da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge) e 14 da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

O problema é que esses projetos estão diretamente ligados à operação dos Centros de Comando e Controle, que entre outras funções, terão informações em tempo real de todos os integrantes do sistema - polícias, Corpo de Bombeiros, agentes de trânsito, etc.

Os órgãos do governo, no entanto, não veem motivos para a preocupações. Na sexta-feira, a Sesge, por meio de sua assessoria, informou ao Estado que 92% do orçamento para a área de TI de 2012 (de R$ 810 milhões) teve execução orçamentária (gasto efetivo das despesas previstas). "Até aquele momento (do relatório do TCU) não havia prejuízo algum da execução dos programas em andamento’’, diz a secretaria.

Ainda segundo o órgão, a partir do mês de março começará a ser feita a entrega efetiva dos equipamentos e materiais adquiridos. São itens como câmeras de altas precisão para serem instaladas em helicópteros que farão a vigilância aérea em estádios, entorno e outra áreas das cidades que receberão partidas da Copa das Confederações, equipamentos para os esquadrões antibombas - de roupas a robôs -, armamentos não letais, entre outros.

A Anatel também garante estar fazendo sua parte. Na quinta-feira, em Brasília, anunciou ter investido em 2012 R$ 52,5 milhões em projetos relacionados à Copa, R$ 6,8 milhões a mais do que o previsto para o ano (esse valor foi antecipado da previsão para este ano).

A agência afirma que os investimentos contemplaram soluções para o melhor aproveitamento do sistema de telecomunicações, backup de base de dados, sistema móvel de radiolocalização, entre outros projetos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.