Divulgação
Divulgação

Teixeira vê Mineirão em vantagem para abrir Copa 2014

Presidente da CBF afirma que obras em Minas Gerais estão dentro do prazo; São Paulo segue sem estádio

AE, Agência Estado

28 de julho de 2010 | 15h43

Depois de visitar nesta quarta-feira as obras de reforma do Mineirão, Ricardo Teixeira afirmou que Belo Horizonte está em "vantagem" na disputa entre algumas cidades brasileiras para ser a sede da abertura da Copa de 2014. Mas o dirigente, que é presidente da CBF e do Comitê Organizador Local, ressaltou que a decisão sobre o palco do jogo inaugural do Mundial será tomada em conjunto com a Fifa, em data ainda a ser definida.

Veja também:

link Ministro diz que críticas da Fifa à preparação da Copa 2014 são 'generalistas'

A favorita para receber a abertura da Copa ainda é São Paulo, mas a capital paulista está sem estádio definido após o veto ao Morumbi. Brasília já se candidatou para ser a sede do jogo inaugural, apostando na construção do novo Mané Garrincha, visitado na terça-feira por Ricardo Teixeira, como grande trunfo. E Belo Horizonte também quer essa honra, como o governador Antonio Anastasia deixou claro no encontro desta quarta.

Antonio Anastasia acompanhou Ricardo Teixeira na visita desta quarta-feira às obras do Mineirão. "Estamos aqui com o objetivo de mostrar que estamos dentro do cronograma", explicou o governador de Minas Gerais. "O Mineirão é o primeiro estádio, que está em primeiro lugar (entre as sedes brasileiras na execução das obras de preparação para a Copa), e, por isso mesmo, tem condições de sediar a abertura e grandes jogos."

"Belo Horizonte, inegavelmente, é a sede e o estádio que está mais avançado não só no projeto, como com relação à obra", elogiou Ricardo Teixeira, admitindo que isso pode ajudar o Mineirão a ser escolhido como sede da abertura da Copa - a reforma do estádio começou no dia 26 de junho, sendo que já está sendo feita a retirada do gramado. "Pelo fato de ter iniciado, você há de convir comigo que ela já iniciou na frente dos outros, é a vantagem."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.