Teixeira volta atrás e tenta novo mandato

Mesmo depois de assegurar que estava em seu último mandato na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e que nada o demoveria da idéia de deixar a entidade em 2004,Ricardo Teixeira homologou nesta sexta-feira candidatura para tentar dirigir a CBF pela quinta vez consecutiva. Ele está na confederaçãodesde 1989. Vai ter como opositor o advogado Carlos Alberto Oliveira, presidente da Federação de Futebol de Pernambuco, que registrou sua chapa à tarde. Teixeira escolheu como um de seus vices Fernando Sarney, o filho do senador José Sarney. Com isso, na avaliação de Oliveira, deixou clara a tentativa de frear o ímpeto da maior parte do governo federal, ?ansioso por renovação no comando do futebol doPaís?. Mas a eleição promete ser uma disputa também nos tribunais. ?Entrei com recurso na Justiça Esportiva para que seja mudado o colégio eleitoral da CBF?, disse Oliveira. ?Vou esperar até três dias por manifestação do tribunal.? Ele já tem pronto o texto de uma ação que deverá impetrar na Justiça Comum na segunda-feira. ?A eleição na CBF só pode ocorrer se todos os clubes filiados à entidade tiverem direito de voto?, afirmou Oliveira. O pleito está marcado para quarta-feira e a CBF, no edital de convocação da eleição, indicou somente as 27 federações estaduais de futebol e mais 24 clubes como votantes. A Lei Pelé, no entanto, garante leque bem maior de eleitores naassembléia-geral da entidade. O presidente em exercício da entidade, Nabi Abi Chedid, passou o dia em São Paulo e não quis falar sobre a eleição. Ele também é um dos vice-presidentes na chapa de Teixeira, que oficialmente está licenciado desde que o Estatuto de Defesa do Torcedor foi sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 15 de maio.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 19h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.