JF Diorio
JF Diorio

'Temos de ser desobedientes no bom sentido', diz corintiano Júnior Urso

Volante, que tinha a função de marcar, foi o autor do terceiro gol do Corinthians na vitória sobre a Avenida

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2019 | 17h41

Autor do gol da virada do Corinthians sobre o Avenida, na Copa do Brasil, o volante Junior Urso afirma que os atletas têm de ser um pouco desobedientes taticamente quando perceberem as oportunidades dentro de campo. Foi por isso que ele chegou à entrada da área para finalizar e definir o terceiro gol. Foi seu primeiro gol pelo clube. No final, o time venceu por 4 a 2.

"Eu chego para apoiar, tinha noção que era o primeiro volante e tinha que marcar para Pedrinho e Díaz jogarem, mas vi o corredor. Às vezes, temos de ser um pouco desobedientes no bom sentido. Fui feliz no chute. O mais importante foi sair com a classificação. Consigo fazer o primeiro volante, mas claro que gosto mais de chegar o ataque e jogar com Ralf ou alguém que me dê mais liberdade de bater e voltar. Como for, o professor pode contar comigo", afirmou o volante.

Embora tenha conseguido a classificação, o Corinthians novamente teve falhas defensivas. Aos nove minutos, o time já perdia por 2 a 0. "O primeiro passo é reconhecer que a gente não entrou como combinamos. Tomamos dois gols, tomamos um susto, na verdade. Entramos de um jeito diferente no segundo tempo, com vontade de ganhar mesmo. Respeitando essa camisa do Corinthians, tem que correr e batalhar. Colocamos qualidade que não estávamos colocando em outras partidas.

Para o jogador, que estava no futebol chinês, a lição da classificação sofrida é a mudança de comportamento da equipe. "Temos de nos comportar assim daqui para a frente. Esse é a autocrítica que a gente tem de fazer. Reconhecer que entramos muito mal. Mas depois tivemos a coragem parar correr atrás do resultado no segundo tempo. Das duas partidas que joguei aqui, esse segundo tempo foi o melhor", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.