"Temos que agradecer a Deus", diz Zagallo

O coordenador-técnico Mário Jorge Lobo Zagallo criticou esquema tático do Uruguai, que de forma surpreendente, empatou por 3 a 3 com o Brasil, em Curitiba, em partida válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2006. Segundo ele, o esquema do técnico uruguaio, Juan Ramón Carrasco - que entrou com 3 atacantes - mostrou fragilidade. ?O sistema usado hoje foi de compactação. Se você for analisar trata-se de um esquema frágil. Quantas vezes o Brasil chegou na cara do goleiro? Então a parte tática do Uruguai, não mostrou nada. O futebol é isso; é uma caixinha de suspresas. Quando eu olhei no placar eu não acreditei. Nós tomamos dois gols bobos e quase perdemos o jogo?, disse o coordenador. Zagallo tentou levar otimismo aos jogadores, que demonstraram abatimento após o jogo. ?Eu disse para eles. Levantem a cabeça. Poderia ter sido pior. Temos que agradecer a Deus pelo resultado, porque, diante das circunstâncias, o 3 a 3 foi ótimo?, avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.