Fabio Motta/ Estadão
Fabio Motta/ Estadão

'Temos total condição de passar', diz Lucas Lima sobre Corinthians

Santos tem o Corinthians nas oitavas de final da competição

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2015 | 20h33

O meia Lucas Lima, um dos destaques do Santos na temporada, comentou nesta terça-feira o clássico paulista que a equipe vai fazer contra o Corinthians, na próxima fase da Copa do Brasil. "Jogar um clássico sempre é bom. Temos que trabalhar forte, focados e ainda estudar a equipe deles", disse o jogador ao site oficial do Santos.

Lucas Lima, que atuou em 36 das 41 partidas disputadas pelo Santos em 2015, alerta para a importância do mando de campo. "A Copa do Brasil são dois jogos e nessas horas o jogo em casa faz muita diferença. Temos total condição de passar. Respeitando a equipe deles vamos fazer o máximo para ir o mais longe possível", disse.

No único jogo que as duas equipes fizeram neste ano houve empate por 1 a 1, na Arena Corinthians, em jogo válido pelo Campeonato Paulista.

Assim que o sorteio da Copa do Brasil definiu o Santos como mandante da primeira partida, o presidente Modesto Roma Junior enviou um ofício à CBF pedindo que o jogo seja no Pacaembu - a data será dia 19 ou 20 de agosto. O clube santista, no entanto, esbarra na preocupação da Polícia Militar com a segurança, pois São Paulo e Palmeiras também vão jogar em São Paulo pela Copa do Brasil.

Emprestado pelo Palmeiras até o mês de dezembro, o atacante Leandro foi apresentado na manhã desta terça-feira como novo reforço do Santos. O jogador, no entanto, lamentou o fato de não poder atuar na Copa do Brasil - ele já jogou pelo Palmeiras. "Não vou poder atuar porque já joguei pelo Palmeiras, mas vou na torcida pelo Santos", disse o jogador em entrevista coletiva.

Leandro foi uma indicação do próprio treinador, Dorival Junior, que fez contato com o atacante. Na opinião do jogador, o envolvimento direto do técnico na negociação aumenta sua responsabilidade.

"Acho que é uma responsabilidade grande vir a pedido do Dorival. Tenho de corresponder dentro de campo, senão não vai adiantar nada o técnico ou a diretoria pedirem. Eu tenho de mostrar tudo o que eu trabalhei com ele. Será mais uma oportunidade para eu poder mostrar para todos que me criticaram, que me criticam, que eu tenho potencial e valor", afirmou o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.