Paulo Pinto / São Paulo
Paulo Pinto / São Paulo

'Tenho o pensamento do time, que nunca desiste', diz herói do São Paulo

Autor do 'gol da liderança', colombiano Tréllez esteve em campo por apenas 24 minutos após pausa da Copa

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

06 Agosto 2018 | 17h25

O atacante Santiago Tréllez andava meio "esquecido" no São Paulo depois da retomada no calendário passada a Copa do Mundo da Rússia. Mas voltou a ser protagonista em um dos momentos mais importantes da temporada. Foi o autor do gol da vitória por 2 a 1 sobre o Vasco, no último domingo, que colocou o clube na liderança do Campeonato Brasileiro depois de três anos sem figurar no topo da tabela ao fim de uma rodada.

+ Aguirre comemora 'planejamento com inteligência' da diretoria do São Paulo

+ Militão dá adeus ao São Paulo e diz que sai com sentimento de dever cumprido

+ São Paulo destaca dedicação e pés no chão após assumir a liderança

Das seis partidas após o Mundial, o jogador foi relacionado pelo técnico Diego Aguirre em cinco, todas pelo Brasileirão. Não esteve no banco apenas no duelo com o Colón-ARG, quinta passada, pela Copa Sul-Americana. Além de o torneio continental permitir um número menor de atletas convocados (18), a boa fase do quarteto ofensivo – Rojas, Nenê, Everton e Diego Souza – somada à expectativa pela utilização do uruguaio Gonzalo Carneiro, que passou meses sem jogar por estar em recuperação de uma pubalgia, fizeram Tréllez virar uma espécie de "plano C" de Aguirre.

Desses jogos em que fora relacionado antes do duelo com o Vasco, o colombiano atuara por um total de dez minutos, durante a vitória (1 a 0) sobre o Flamengo, quando entrou aos 35 da etapa final, no Maracanã. Nos demais – Corinthians, Grêmio e Cruzeiro –, passou os 90 minutos esquentando o banco. Mas ele soube esperar, característica que o próprio atribui ao atual time do São Paulo.

"Tenho o pensamento do time, que nunca desiste", afirmou Tréllez. Ele foi chamado por Aguirre – junto com Carneiro – aos 31 do segundo tempo, quando os vascaínos eram superiores e ameaçavam até mesmo virar o placar. Quatro minutos depois, completava de cabeça cruzamento preciso de Everton. Era o gol do alívio para os mais de 50 mil tricolores presentes no Morumbi.

"Nuca deixei de trabalhar, e este gol foi a recompensa por continuar trabalhando da melhor maneira. Estou feliz com a vitória e sabemos que não podíamos deixar passar essa oportunidade de ser líder. Vamos manter os pés no chão", pediu o herói do fim de semana são-paulino.

Com 35 pontos, o São Paulo ultrapassou o Flamengo, que estacionou nos 34 depois da derrota (2 a 0) para o Grêmio, no sábado. Sem jogos neste meio de semana, o time ganhou dois dias de folga e retorna aos trabalhos na quarta-feira. O próximo desafio será diante do Sport, domingo, na Ilha do Retiro, no Recife, pela 18ª rodada do Brasileiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.