Nelson Almeida|AFP
Nelson Almeida|AFP

Tensão é a marca da ‘final’ em Minas entre São Paulo e Atlético

Clubes decidem quem avança à semifinal da Libertadores

CIRO CAMPOS, ENVIADO ESPECIAL A BELO HORIZONTE, O ESTADO DE S.PAULO

18 de maio de 2016 | 05h00

A decisão da vaga na semifinal da Copa Libertadores entre Atlético-MG e São Paulo começou muito antes do apito inicial para o confronto entre as equipes, nesta quarta-feira, às 21h45, em Belo Horizonte. O clima de rivalidade e até de uma certa batalha de nervos está no ar há alguns dias, com atitudes dos presidentes e treinos fechados dos times. O Tricolor paulista joga por um empate para avançar, já que ganhou por 1 a 0 na ida.

Os dois clubes estavam insatisfeitos com o nível da arbitragem da Conmebol e mandaram ofícios à entidade na última semana para comunicar a reprovação. O primeiro a se manifestar foi o São Paulo, na véspera do jogo de ida, semana passada. O Atlético-MG fez o mesmo depois da partida, irritado com o trabalho do colombiano Wilmar Roldán.

A briga nos bastidores foi somente um reflexo do que os times mostraram em campo no Morumbi, quando o São Paulo ganhou por 1 a 0. Foram dez cartões amarelos, muitas faltas e um gol de bola parada. “O jogo deve ser muito parecido com o último. O que queremos é que o árbitro esteja à altura das circunstâncias. Será uma partida muito brigada e disputada”, previu o técnico do São Paulo, Edgardo Bauza.

O argentino terá à disposição a força máxima. Michel Bastos está recuperado de lesão na coxa e será titular. A equipe está confiante por ter conquistado o resultado no Morumbi sem levar gols, o que permite fazer um gol em Belo Horizonte e forçar, assim, o adversário a ter de fazer três para se classificar.

No Atlético-MG existe muito mistério. Robinho sentiu dores na coxa, mas como os treinos do time têm sido fechados, há dúvidas sobre sua escalação, assim como em outras duas posições. Dos sete cartões amarelos levados no Morumbi, dois foram para jogadores que acabaram suspensos: os volantes Rafael Carioca e Júnior Urso.

O goleiro Victor afirmou ontem que, não fosse a má qualidade da arbitragem no Morumbi, o time teria menos problemas nesta segunda partida. “Os jogadores do São Paulo simularam muitas faltas. No primeiro jogo a arbitragem ficou devendo e marcou uma falta inexistente no lance do gol do São Paulo.”

As duas equipes encerraram a preparação com dois dias de treinos secretos. O São Paulo fez o trabalho ontem à noite, no estádio Independência. Já o time da casa está concentrado desde segunda-feira em seu CT, em Vespasiano.

Tanto Atlético-MG quanto o São Paulo escalaram os reservas no Campeonato Brasileiro, para dar prioridade à Libertadores. “Vamos deixar tudo em campo. Sabemos que foi importante chegar entre os oito melhores da América. Agora vamos tentar ficar entre os quatro”, afirmou Bauza.

FICHA TÉCNICA:

Atlético-MG: Victor; M. Rocha, L. Silva, Erazo e D. Santos; L. Donizete, Lucas Cândido, Patric, Cazares e Carlos (Robinho); Pratto. Técnico: Diego Aguirre.

São Paulo: Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson e T. Mendes; Michel Bastos, Ganso e Kelvin; Calleri. Técnico: Edgardo Bauza.

Juiz: Andrés Cunha.

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte.

Horário: 21h45.

Na TV: Globo, SporTV e FoxSports.

 

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.