Divulgação/SBT
Divulgação/SBT

Téo José explica criação do bordão 'Rony Rústico': 'Tudo foi muito natural'

Narrador do SBT cria frase que conquista a torcida e que fez sucesso até com o próprio atacante do Palmeiras

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2021 | 22h00

A caminhada do Palmeiras rumo ao título da Copa Libertadores de 2020 fez a torcida ficar de olho nas transmissões do SBT e incorporar um dos bordões mais repetidos pelo narrador Téo José ao longo das partidas. A cada jogada do camisa 11, o apelido de "Rony Rústico" acabou se fixando como uma das grandes lembranças da conquista e das atuações de Rony.

Téo contou ao Estadão que teve a ideia de chamar Rony dessa maneira totalmente por acaso. O bordão surgiu durante um jogo do time e teve como inspiração a música Betty Frígida, sucesso do grupo Blitz lançado em 1983. A letra cita em determinado momento um personagem chamado Roni Rústico. "Quando fiz o primeiro jogo que tinha o Rony, veio logo na minha cabeça essa música. Os bordões são assim: você joga e vê a repercussão. Deu muito certo e fiquei surpreso com a repercussão positiva", explicou o narrador.

Nas redes sociais, vários torcedores mais jovens começaram a se perguntar o motivo do apelido de Rony Rústico. "Muita gente me escreveu depois nas redes sociais para comentar que passou a ouvir a música só por causa do bordão. Tudo foi muito natural. Eu não planejei nada. Eu sempre gosto de misturar um pouco música com narração e o 'Rony Rústico' se tornou um enorme sucesso", contou.

O próprio palmeirense também gostou demais da brincadeira. Rony mandou mensagens para Téo para agradecer pela criatividade. Quando o narrador esteve afastado das transmissões para se recuperar da covid-19, o atacante fez questão de lhe procurar para desejar melhoras. Téo conseguiu voltar a tempo da final da Libertadores, quando narrou o passe de Rony Rústico para o gol do título, marcado por Breno Lopes.

Narrador com 30 anos de experiência, Téo se sente ainda mais satisfeito pelo bordão ter sido uma das marcas da campanha do Palmeiras na Libertadores. "Narrar futebol é sempre um desafio, mas fico feliz demais com toda essa comoção. Eu o Rony nos aproximamos muito com tudo isso. É muito interessante ter vivido tudo isso", comentou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.