Terapia ajuda Magrão a mudar estilo

Considerado por muitos um jogador desleal, o volante Magrão constantemente recorre aos números para provar que mudou. Na atual temporada, recebeu apenas quatro cartões amarelos e nenhum vermelho. Em Teresina, onde disputa a Copa dos Campeões pelo Palmeiras, o jogador revelou à Agência Estado que a alteração de seu comportamento não aconteceu por acaso. Desde o início do ano, submete-se semanalmente a sessões com a psicóloga Suzy Fleury, que entre outras funções trabalhou com Vanderlei Luxemburgo na seleção brasileira. ?No começo relutei em aceitar a ajuda, é difícil confiar em quem eu não conheço. Mas estava levando os meus problemas de fora de campo para dentro. As coisas aconteciam sempre ao contrário do que eu previa, precisava de alguma forma conter o meu temperamento explosivo?, admite Magrão. Por uma questão ética, Suzy não quis entrar em detalhes sobre a maneira como trabalha a cabeça do jogador. Mas contou que o rendimento de qualquer atleta de alto nível está intimamente ligado a alguns fatores relacionados à impulsividade, e que acabam interferindo na própria vida. ?O caso do Magrão é bem específico porque trata-se de um homem totalmente voltado à competição, que gosta de ganhar sempre. Mas ele aprendeu nesses seis meses a direcionar essa força para a busca de seus objetivos e tem conquistado resultados altamente significativos?, explica a psicóloga. O jogador conta que a violência que empregava nas jogadas estava diretamente relacionada ao seu jeito de ser. ?Eu achava que as coisas deveriam acontecer sempre da forma que eu queria. Não media as consequências para alcançar meus objetivos. Mas assim que conheci a Suzy as mudanças foram imediatas. Fui eleito o melhor jogador em campo pelos jornalistas em duas das quatro primeiras partidas do Palmeiras na temporada, contra Santos e Flamengo.? As sessões acontecem sempre na casa de Magrão, que faz questão de ressaltar que psicóloga tornou-se uma grande amiga da família. ?Não vou esconder que chorei quando ela me exibiu um vídeo com a música ?Hero? (Herói), da Mariah Carrey. A letra tem uma mensagem com a qual me identifico demais, diz que não devemos desistir nunca para que algum dia possamos nos tornar vencedores. A Suzy diz com frequência que na vida temos que carregar uma mochila contendo apenas coisas boas.? Sem citar nomes, o volante admitiu que comparações com jogadores que fecharam as portas devido ao temperamento explosivo também serviram de base para o trabalho. ?Meu comportamento mudou da água para o vinho. Aprendi a dar mais valor para a família e para o emprego que tenho, e a não me preocupar muito com problemas que não me dizem respeito.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.