José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Terceira derrota seguida põe forte pressão no time do Palmeiras

Alviverde perde para o Red Bull por 2 a 1 no Pacaembu

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2016 | 22h33

Três jogos, três derrotas e uma pressão crescente da torcida. Esse é saldo de Cuca à frente do Palmeiras após cerca de dez dias de trabalho. Nesta quinta-feira, no revés para o Red Bull por 2 a 1, no Pacaembu, novo protesto. Depois de pichar os muros do clube na derrota para o Audax, a torcida gritou “Time sem vergonha”, estendeu faixas do tipo “Elenco de Série B” e deu uma estrondosa vaia no final do jogo.

O treinador já enfrentou a primeira polêmica. Depois de perceber que Dudu estava com dores na coxa direita e caiu no gramado antes dos 10 minutos, o treinador fez a troca por Allione. Dudu ficou irritado, pois queria voltar, e ficou no banco. “Acho que foi opção do treinador, eu estava bem”, disse o atacante. O médico afirmou que o jogador queria voltar, mas não tinha condições. No final do jogo, Cuca admitiu o erro. “Foi erro meu, na minha visão, ele tinha um problema, mas não tinha nada”, disse.

O treinador testou a terceira formação diferente. Escalou Erik pelos lados e Rafael Marques como falso 9. A ideia era tirar a referência na área, sair jogando e evitar chutões. Na prática, o problema apenas mudou de lugar, e o Palmeiras começou a falhar na saída de bola. 

Cuca terá de olhar para a defesa, que continua irregular. O Red Bull construiu sua vitória aí, com Galhardo e Roger - aquele, ex-Ponte Preta e artilheiro com nove gols. 

O único ponto positivo do segundo tempo foi a presença de Alecsandro, que entrou no lugar de Jean e fez um gol típico de centroavante, fazendo o time ter uma esperança de empate - sempre no jogo aéreo - até o final.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 2 RED BULL BRASIL

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egidio; Arouca, Jean (Alecsandro) e Robinho; Dudu (Allione), Erik (Zé Roberto) e Rafael Marques. Técnico: Cuca.

RED BULL BRASIL: Saulo; Everton Silva, Anderson, Diego Sacoman e Breno; Nando, Maylson, Misael (Lucas) e Galhardo (Rafael); Edmilson (Willian) e Roger. Técnico: Maurício Barbieri.

GOLS: Galhardo, aos 39, e Roger, aos 44 minutos do primeiro tempo; Alecsandro, aos 14 do segundo.

ÁRBITRO: Rodrigo Guarizo.

CARTÕES AMARELOS: Diego Sacoman, Roger, Alecsandro e Breno.

PÚBLICO: 14.395 pagantes.

RENDA: R$ 284.805,00.

LOCAL: Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.