Termina a paciência de Ricardinho

Paciência tem limite. E a do meia Ricardinho acabou. Cansado e, principalmente, irritado com toda a confusão na qual se transformou sua saída do Corinthians, o jogador, como costuma-se dizer, ?pôs a faca no pescoço? da diretoria. O atleta garantiu que se os cartolas não resolverem sua situação neste fim de semana, ele próprio vai cuidar de colocar um ponto final em todo o imbróglio. ?Isso (a negociação) já passou dos limites. Se não decidirem, eu mesmo vou tomar uma atitude.? Mas um detalhe já é certo. Seu futuro é fora do Parque São Jorge. A questão agora é definir o tamanho, ou melhor, a distância dessa mudança. A opção predileta é o Morumbi. Desde o momento em que definiu que não quer mais ficar no Corinthians, o jogador elegeu o São Paulo como prioridade, o que atenderia um desejo da família, já adaptada à cidade. Contudo, existe um fato, o único, que pode demovê-lo dessa idéia: uma proposta irrecusável do futebol europeu. Por uma simples questão de birra e vaidade, os cartolas corintianos tentam ?ajeitar? Ricardinho na Europa. Tudo para não vê-lo defender o arqui-rival, fato que, dizem acreditar, provocaria protestos da torcida, o que deixaria o ambiente carregado. Por isso, insistem para que o atleta manifeste publicamente sua vontade de sair do clube e, assim, se torne o alvo isolado dos indignados torcedores. Para rescindir seu contrato com o Corinthians, Ricardinho precisa pagar uma multa de R$ 2 milhões. Aviso ? Na tarde de quinta-feira, Ricardinho sentiu exatamente o tipo de problema que deve enfrentar caso aceite a oferta dos são-paulinos. Segundo o jogador, cerca de meia dúzia de torcedores corintianos o cercou para cobrar satisfações. ?Eles se dirigiram a mim falando um monte de besteiras que não vou repetir aqui?, lembrou. ?E eu respondi no mesmo nível.? O clima, definitivamente, é tenso.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 19h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.