Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Testes em massa e mudanças nos CTs: como os quatro grandes paulistas se preparam para o retorno

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulos seguem procedimentos similares

Raul Vitor, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2020 | 17h24

As equipes que disputam a Série A do Campeonato Paulista foram autorizadas pelo Governo de São Paulo a retomarem suas atividades no dia 1º de julho. Há algumas semanas do retorno aos CTs, os quatro grandes clubes da capital paulista começam a se movimentar.

Na mesma semana em que o aval para a retomada dos treinos foi anunciado pelo governador João Dória, os clubes São Paulo, Santos, Palmeiras e Corinthians "correram" para realizar a testes em seus jogadores. O resultado dos exames deve sair antes do retorno aos CTs.

As equipes querem saber quem já foi contaminado e quem ainda não contraiu a covid-19, para facilitar o monitoramento desses atletas durante o processo de retomada do futebol.  Caso algum jogador seja diagnosticado com a doença, ele terá o tempo necessário para cumprir quarentena e voltar no dia 1ª de julho. O Estadão realizou um levantamento das medidas que serão tomadas por esses times para o restabelecimento de suas atividades.

Corinthians - não joga desde o dia 15 de março.

A equipe alvinegra já estabeleceu um protocolo próprio de segurança e pretende retornar ao CT Joaquim Grava neste sábado, 20. Uma série de medidas foi tomada pelo clube para garantir a segurança de seus atletas e funcionários.

A testagem foi programada para acontecer entre 72 e 48 horas antes do retorno dos treinos. Equipamentos de proteção serão distribuídos, assim como instruções de higiene. Os equipamentos dentro das academias foram realocados, para que haja mais espaço entre os atletas durante as atividades.

Palmeiras - não joga desde o dia 13 de março.

A equipe alviverde já possui protocolo próprio de segurança e realizará a testagem de seus atletas e funcionários no Hospital Sírio Libanês. Isso porque o clube possui parceria com o hospital, que oferecerá uma estrutura interna para a realização dos testes.

Não haverá aglomeração. Os jogadores comparecerão ao local de realização dos exames em grupos pequenos, organizados em horários diferentes. Existe também a pretensão da realização de testes respiratórios em seus jogadores. Caso isso aconteça, será possível adiantar ainda mais os procedimentos para a volta aos treinos.

Santos – não joga desde o dia 14 de março.

A equipe da baixada santista já possui protocolos próprios de segurança, baseado nas orientações da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nos clubes da Alemanha e da Espanha. Seus jogadores serão testados nas dependências do CT Rei Pelé. Todos receberão máscaras, álcool em gel e viseiras.

Contudo, o procedimento acontecerá nas partes externas dos centros de treinamentos, preferencialmente, ao ar livre. Antes de os atletas entrarem nas dependências do CT, suas temperaturas serão aferidas. Aqueles que registrarem hipertermia superior a 37,5ºC, serão imediatamente isolados.

São Paulo – não joga desde o dia 14 de março.

A equipe tricolor possui protocolos próprios de prevenção e já reestruturou o CT da Barra Funda para recepcionar os jogadores na retomada das sessões de treinamento. Aliás, a testagem dos atletas será feita dentro do CT.

O clube realizou a montagem de tendas e uma estrutura específica para a execução do exame. Assim como outras equipes, o São Paulo fez modificações específicas dentro de seu centro de treinamento. 

Os aparelhos da academia foram colocados em áreas externas e bem arejadas, por exemplo. Até mesmo o estacionamento do local sofreu alterações. As vagas, agora, possuem espaçamentos de carro em carro.

Retorno sem garantias

Apesar do restabelecimento das sessões de treinamento terem sido agendadas para o primeiro dia de julho, isso não significa que o Campeonato Paulista será retomado de forma imediata. Apesar da volta aos treinos, a Federação Paulista de Futebol (FPF) não possui uma data específica para a volta do torneio estadual.

A competição foi paralisada há duas semanas do fim de sua primeira etapa. Caso essa fase fosse encerrada naquele momento, classificavam-se para as finais: Santos, Oeste, Santo André, Palmeiras, São Paulo, Mirassol, Bragantino e Guarani.

Dentre as quatro grandes equipes da capital, o Corinthians é o que está numa posição mais delicada. A equipe alvinegra está na terceira colocação do “Grupo D”, com 11 pontos e a cinco do Guarani, segundo colocado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.