Rosiron Rodrigues/Goiás
Rosiron Rodrigues/Goiás

Testes falham, Goiás tem dez jogadores com coronavírus e pede adiamento do duelo com o São Paulo

Clube alega que recebeu resultados dos exames apenas na manhã deste domingo, horas antes da partida de estreia no Campeonato Brasileiro

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2020 | 14h10

Horas antes da partida contra o São Paulo, neste domingo, o Goiás informou que dez dos 26 jogadores do elenco contraíram o novo coronavírus, sendo que oito seriam titulares no confronto de estreia no Campeonato Brasileiro. Com isso, o clube pediu à CBF o adiamento do duelo marcado para as 16 horas deste domingo, no Serrinha. Os resultados dos exames saíram apenas na manhã deste domingo, após falha detectada pelo Hospital Albert Einstein, que confirmou a informação (veja a nota abaixo).

Dos 10 jogadores que testaram positivo para a covid-19, oito são titulares, o que deixaria o Goiás muito desfalcado. O clube afirmou que vinha fazendo cerca de 70 testes semanalmente, do tipo RT-PCR (que detecta a presença do vírus), nos jogadores, membros da comissão técnica e funcionários do departamento de futebol que trabalham no centro de treinamento e nos jogos.

Só que os últimos exames feitos pelo clube foram invalidados pela CBF e uma nova rodada de teste foi realizada na última sexta-feira por um laboratório parceiro do Hospital Albert Einstein, escolhido pela entidade que rege o futebol brasileiro. E, ao contrário das vezes anteriores, as amostras detectaram 10 atletas infectados. 

Segundo o clube goiano, os resultados dos testes só foram apresentados na manhã deste domingo, não respeitando, portanto, o período de 24h de antecedência para mostrar informar os resultados. Os contaminados estavam concentrados, dormindo dois atletas por quarto.

O clube esmeraldino, então, decidiu realizar por conta própria uma nova bateria de exames nos jogadores contaminados e aguarda os resultados dos testes e a resposta da CBF sobre o pedido de adiar a partida da rodada de abertura no Brasileirão. "O clube acredita que, se for para seguir um protocolo de segurança de saúde e prevenção à covid-19, todos deveriam estar em isolamento e observação pelo contato recente com pessoas contaminadas", diz trecho da nota divulgada pelo Goiás.

VEJA A NOTA DO EINSTEIN

"O Hospital Israelita Albert Einstein identificou uma falha técnica na coleta das amostras, feita em um laboratório parceiro em Goiás, para realização de teste RT-PCR em atletas e equipes dos clubes Vila Nova e Goiás. Solicitou, portanto, novas amostras antes do processamento dos exames. Elas foram refeitas e encaminhadas para análise no laboratório do hospital em São Paulo, sem nenhum prejuízo aos prazos estabelecidos para apresentação dos resultados."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.