Tevez é acusado de discriminação

Depois de provocar a ira dos árbitros - a quem acusou de discriminação e motivo pelo qual terá de se explicar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva - o argentino Carlitos Tevez ganhou nesta terça-feira mais um motivo de preocupação. O Grupo de Repressão e Análise de Delitos de Intolerância (Gradi) - uma delegacia especial da Polícia Civil de São Paulo que cuida de casos de segregração social - ameaça processar o jogador do Corinthians por discriminação contra as mulheres. No dia 8 de setembro, um dia depois da derrota para o São Paulo (3 a 2), Tevez disse em entrevista coletiva que ?em um futebol mais sério, mulheres não devem atuar como árbitros?. Seria, segundo ele, ?uma questão de capacidade?. As declarações foram muito mal recebidas por entidades de defesa da mulher e chamou a atenção da delegada do Gradi, Margarette Corrêa Barreto Gracia. ?Foi uma declaração infeliz. Uma posição pessoal preconceituosa e pela qual pode responder a inquérito policial?, disse a delegada, que está juntando reportagens de jornais e revistas, fitas de video e gravações de emissoras de rádio e tevê sobre a entrevista do corintiano. Só depois de reunir material que considere consistente, vai propor ou não uma ação judicial. Segundo ela, uma lei estadual (nº 11.369, de março de 2003) trata especificamente dessa questão. Tevez, diz ela, poderá ser responsabilizado pelo que diz o inciso 5º da lei (veiculação por meios de comunicação de massa de qualquer forma de discriminação contra idoso, portador de deficência fisica ou mulher). A lei não prevê pena de detenção. Fala apenas em multa - de 500 Ufesp (cerca de R$ 6.650.00)?Ele diminuiu a capacidade da mulher. Fez críticas ao gênero?, acusa a delegada. ?Como se trata de uma pessoa pública, deveria ter mais cuidado com as coisas que fala. Ele pode influenciar muita gente, em especial os jovens e esse tipo de intolerância não é bom para ninguém?, acrescenta. A delegada não vê semelhanças entre as declarações de Tevez e as do técnico Tite, que em 22 de fevereiro deste ano, também após um jogo contra o São Paulo, afirmou que as mulheres não deveriam atuar como árbitros em jogos disputados por homens. ?Apesar de conter um certo preconceito, as declarações de Tite se referiam à questão física?, avaliou a delegada. ÁRBITROS - O relacionamento de Tevez com os árbitros nunca foi amistoso, mas começou a azedar no dia 6 de agosto, quando acabou expulso por Anselmo da Costa na partida contra o São Caetano. Acusado de xingar o juiz, o argentino foi condenado a três jogos de suspensão. No dia 7 de setembro, Tevez saiu em defesa do colega argentino Sebá e acusou o árbitro Edilson Pereira de Carvalho de perseguição.No jogo seguinte - contra o Atlético-PR - a diretoria do Corinthians contratou um cinegrafista para monitorar o tratamento que o jogador recebia dos árbitros. Como represália, o Sindicatos dos Árbitros promete pedir ao STJD e à Comissão Nacional de Arbitragem para que juízes sejam autorizados a usar um gravador nos jogos do Corinthians. A entidade acredita que assim, os árbitros poderão se defender em caso de novas acusações de discriminação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.