Tévez é eleito o melhor da final

Tévez foi o ganhador do Toyota oferecido pelos organizadores ao melhor jogador da partida desta quarta-feira, vitória do Boca sobre o Santos por 3 a 1. A escolha foi feita pelos jornalistas presentes à decisão da Libertadores. Ele foi a grande aposta do técnico Carlos Bianchi para a segunda fase da competição, depois de não ter sido inscrito na primeira porque estava defendendo a seleção Sub-20 da Argentina. A aposta deu certo.Tévez marcou cinco gols em oito partidas, ficando atrás apenas de Guillermo Barros Schelotto, ausente na final desta quarta, por contusão, e Marcelo Delgado, o artilheiro do Boca, com nove gols.Na festa, os jogadores do Boca se uniram no meio-campo e correram em direção ao gol defendido por Fábio Costa, atrás do qual estavam os seus fanáticos torcedores. A mesma torcida que comemorou nesse mesmo Morumbi o título em cima do Palmeiras, em 2000.Foi o quinto título para o Boca - ganhou também em 77 e 78, com Juan Carlos Lorenzo, e em 2000 e 2001, já com Carlos Bianchi - e o quarto para seu treinador, que levou em 94, dirigindo o Vélez Sarsfield.Futuro - O Boca já começou a pensar em reforços para o segundo semestre do ano, quando disputará o Torneo Apertura, segundo campeonato nacional do ano, que se inicia em 12 de agosto, e também a Copa Sul-americana, também com início em agosto.Os reforços devem vir da Colômbia. A diretoria já está tratando com o Deportivo Medellín para a contratação do zagueiro Perea, do meia Restrepo e do atacante Maurício Molina, que substituiria Delgado, cujo passe foi adquirido pelo Cruz Azul, do México, por US$ 2,5 milhões. Há também o interesse do Bayern de Munique por Carlos Tévez, de 19 anos, o criativo jogador do Boca.

Agencia Estado,

03 de julho de 2003 | 00h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.