Tevez feliz por tratamento no Brasil

Tevez confessou haver tomado um susto com o tratamento que recebeu em São Paulo. Ele cresceu sabendo da rivalidade entre brasileiros e argentinos. Estava preparado para ser rejeitado ou provocado e disse que não aguentava mais ser questionado pela imprensa argentina.Agência Estado - Qual foi a sua impressão nestas primeiras horas em São Paulo como jogador do Corinthians? Tevez - Foi a melhor possível. Eu cresci acreditando na rivalidade histórica entre brasileiros e argentinos. Estão me tratando bem demais aqui. Isso é ótimo porque estava cansado dos problemas com jornalistas de Buenos Aires. Aqui poderei viver a minha vida tranqüilamente. Isso foi uma das razões que me fizeram aceitar jogar no Corinthians. Queria jogar em paz.AE - Como foi seu contato com os jogadores do Corinthians no domingo? Você conhecia algum deles? Tevez - Não. Mas deu para sentir que o grupo é bom. Fui bem tratado demais. Todos demonstraram interesse muito grande em fazer o Corinthians campeão como merece. É o que iremos tratar de fazer no ano que vem. Tenho certeza que nos entrosaremos da melhor maneira possível.AE - E em relação ao técnico? O que você sabe do Tite e do Luxemburgo? Tevez - Não sei nada em relação ao Tite. Mas o Luxemburgo é um dos melhores da América e do mundo. Acabou de ganhar de novo o Campeonato Brasileiro. Não sei com quem trabalharei em 2005, mas confio na diretoria na escolha do treinador.AE - Já deu para sentir a diferença entre Corinthians e Boca Juniors? Tevez - Eu não gosto de comparar os clubes ainda mais porque estou chegando agora ao Corinthians. O Boca Juniors é o clube dos meus amores. O Corinthians está me abrindo uma porta importante na minha carreira.AE - Abrindo porta? Significa que você irá embora logo para a Europa? Não irá cumpir o seu contrato de cinco anos? Tevez - Não sei. Mal cheguei ao clube. Não joguei ainda nenhuma partida. Vamos ver o que acontece. Não posso falar nada sobre o que ainda não aconteceu. Quero sentir como as coisas acontecerão.AE - Você está sendo contratado por muito dinheiro. Foi a maior contratação da história entre dois clubes da América do Sul. A pressão não será enorme para jogar bom futebol e fazer o clube campeão?Tevez - Estou acostumado com cobranças. Quero ser importante para o time, mas serei apenas mais um. Tenho certeza que como time nós poderemos fazer o que a torcida espera. No futebol não se pode pressionar apenas um jogador. Mas não me preocupo com nada, não.AE - Quando você irá embora? Tevez - Vou nesta quarta. Não abro mão de passar as festas com a minha família. Ainda bem que São Paulo é perto de Buenos Aires.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.